Brasil está entre os dez países com pior velocidade de conexão no Netflix

Por Redação | 05 de Outubro de 2016 às 14h30

Os resultados de um estudo feito pelo Netflix sobre o índice de transferência de dados do serviço em 41 países revelam o que muitos internautas já suspeitavam: a velocidade de conexão da internet no Brasil – pelo menos entre os que usam o serviço de streaming – é uma das piores no mundo. De acordo com a pesquisa, o Brasil foi o 9º com pior índice de transferência de dados do Netflix no horário nobre no mês de agosto, o último com dados disponíveis.

Com velocidade média de 2,57 megabits por segundo, o Brasil só ficou à frente de países como Colômbia, Costa Rica, Filipinas e Índia – a pior colocada, com média 1,78 mbps. Mesmo vizinhos próximos, como o Uruguai e o Chile, apresentaram um desempenho melhor. Para se ter uma ideia da comparação, na primeira colocada, a Suíça, a velocidade média foi de 3,99 mbps.

Veja abaixo os dez países com as piores velocidades no ranking da Netflix:

1- Índia - 1,78 mbps

2- Filipinas - 2,04

3- Costa Rica - 2,11

4- Jamaica - 2,226

5- Equador - 2,27

6- Argentina - 2,37

7- Peru - 2,47

8- Colômbia - 2,53

9- Brasil - 2,57

10- Uruguai - 2,77

Dentro do próprio país também há grandes diferenças, já que a velocidade de conexão varia de acordo com as operadoras. Neste quesito, a melhor no Brasil, desde o início da medição, é a Live Tim, que em agosto teve uma média de 3,09 mbps – ainda longe dos dez primeiros colocados no ranking. Ela é seguida de perto por Net Vírtua e GVT, enquanto a Vivo e a Oi fecharam o mês com uma média modesta da 1,94 mpbs – só um pouco a mais do que a Índia.

Mas, se o Brasil é quarto país com maior número de usuários de internet e o quarto maior mercado da Netflix em números de assinantes, por que então a velocidade de conexão aqui seria tão ruim? Segundo o especialista Marco Konopacki, coordenador de projetos do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS), existem três fatores que poderiam contribuir para isso.

O primeiro seria a própria infraestrutura – que voltou a ser colocada em xeque durante a polêmica em torno dos limites da banda larga. "De fato se investe pouco em infraestrutura de internet no Brasil. O investimento é baixo, os preços são altos. Não me surpreende que a Tim tenha a maior velocidade de entrega, porque eles estão construindo uma rede nova", avalia o especialista.

O segundo seria, ironicamente, o próprio gosto do brasileiro por navegar na web. No horário nobre, aumenta o número de pessoas conectadas, o que pode contribuir para diminuir a velocidade da rede.

Mais polêmica, a terceira possibilidade seria a existência do "traffic shaping" – ou seja, a prática de restringir deliberadamente o uso de banda para alguns serviços específicos. "Não me admiraria se algumas empresas limitassem o tráfego desses dados para preservar mais a rede ou tornar o serviço mais rentável. Pode ser um elemento, é uma hipótese a ser testada", conclui.

Fonte: UOL

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.