A pergunta de um trilhão de dólares: como levar internet ao mundo todo?

Por Carlos Dias Ferreira | 18 de Julho de 2018 às 17h04

Como é possível levar internet mesmo aos cantos mais afastados e desassistidos do planeta? Independentemente da resposta, o que se pode ter certeza é que colocar a solução na prática algo capaz de movimentar somas da ordem de US$ 1 trilhão. O resultado, entretanto, é que a metade da população mundial, para a qual a internet ainda permanece como luxo inacessível, terá uma ferramenta a mais para o desenvolvimento.

Sem entrar no mérito das motivações sociais das instituições mais abastadas, é fato que um negócio dessa envergadura não poderia deixar de motivar várias gigantes tecnológicas. Nos últimos anos, pelo menos três iniciativas de grande porte pretenderam solucionar a pergunta de um trilhão de dólares.

Os balões da Google

O chamado Project Loon, da Google, trabalha com a ideia de fazer flutuar balões de grande altitude sobre áreas de difícil acesso – as partes mais remotas do Quênia, por exemplo. A bordo, estariam apenas alguns componentes essenciais capazes de prover uma conexão com a internet.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Project Loon: balões de grande altitude postados na estratosfera munidos de componentes básicos para garantir acesso à internet. (Foto: reprodução/Google).

“O Loon decidiu alçar a infraestrutura terrestre até a estratosfera, levando os componentes mais essenciais, como as antenas, e colocando-os em balões”, explicou o diretor técnico do projeto, Baris Erkmen, em entrevista ao site Mashable. “Toda essa tecnologia reunida permitirá que mesmo uma pessoa localizada a quilômetros de distância da infraestrutura terrestre mais próxima tenha conexão com a internet”, conclui.

Os 12 mil satélites da SpaceX

A SpaceX é outra das grandes empresas atualmente devotadas a levar a internet aos quatro cantos do planeta. A companhia de Elon Musk tem o projeto ambicioso de colocar uma constelação de 12 mil satélites em órbita da Terra – o que deve servir tanto para levar conectividade a locais desassistidos quanto para melhorar a internet em lugares em que já esteja disponível.

Tem que começar em algum lugar: dos 12 mil satélites de internet planejados pela SpaceX, dois já foram postos em órbita da Terra. (Foto: reprodução/SpaceX).

“Esse sistema, caso obtenha sucesso, levará conexão rápida e barata com a internet a locais com moderada densidade populacional ao redor do mundo – incluindo muitos que nunca tiveram uma conexão com a internet”, disse o engenheiro da SpaceX Tom Praderio ao site. E a constelação já começou a se formar: dois satélites já se encontram em órbita.

O laser de internet da Facebook

Embora tenha sido abandonado, o projeto Aquila, da Facebook, também oferecia uma solução sui generis para levar conexão aos rincões perdidos da Terra. A empresa pretendia fazer sobrevoar drones sobre áreas remotas, disparando fachos de laser sobre a superfície – por meio dos quais trafegariam os dados da internet.

Projeto Aquila: embora tenha sido abandonada, a iniciativa envolvia a utilização de drones munidos de paineis solares e "laser de internet". (Foto: reprodução/Facebook).

Seja qual for o método mais bem sucedido ao final, é inegável a urgência de uma solução. Para o bem ou para o mal, a sociedade atual se tornou praticamente indistinguível da grande rede – senão, tente imaginar a sua vida atualmente sem qualquer forma de comunicação online. Além de questões sociais, a internet hoje é também uma infraestrutura garantidora de desenvolvimento tecnológico e econômico.

Fonte: Mashable

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.