YouTube estaria planejando investir no site de vídeos musicais Vevo

Por Redação | 17.01.2013 às 11:27

O YouTube estaria pronto para lançar uma nova rodada de investimentos em sites e canais de vídeos parceiros. Dessa vez, o escolhido é o site de vídeos musicais Vevo. Segundo fontes ligadas ao negócio, a empresa estaria se preparando para adquirir uma participação minoritária do concorrente.

Se o plano for concluído, esta será a segunda vez que o YouTube investe diretamente em uma empresa de vídeo que tem sua distribuição de conteúdo baseada no serviço de compartilhamento de vídeos do Google. Em maio de 2012, o Google investiu US$ 35 milhões (R$ 71 milhões) no Machinima, rede de vídeos na web voltada para gamers.

Segundo o All Things D, o acordo de investimento, quando for concluído, irá beneficiar tanto a Vevo como o YouTube e irá ampliar sua relação, muitas vezes polêmica, que já dura três anos. A Vevo continuará a distribuir seus clipes musicais na maior rede de compartilhamento de vídeos do mundo e o YouTube continuará a veicular os vídeos de música de grandes gravadoras, incluindo licenças de veiculação de conteúdo com direitos autorais renovadas a longo prazo.

Especialistas acreditam que a rodada de investimento na Vevo, que é uma joint venture entre Universal Music, Sony Music e Abu Dhabi Media, deverá ser ainda maior do que a do Machinima no último ano. Mas, por enquanto, o negócio ainda não foi fechado ou sequer confirmado pelas partes. O acordo deverá ser fechado ao mesmo tempo em que o YouTube assinará contratos separados com a Universal e a Sony, que deverá incluir vídeos publicados na plataforma com as músicas de artistas representados pelas gravadoras.

Vevo

Foto: Divulgação

As gravadoras planejam conseguir mais retorno financeiro do seu conteúdo publicado no YouTube, o que faria mais sentido se as empresas trabalhassem juntas na distribuição do conteúdo musical. E mesmo com os esforços do YouTube para atrair mais conteúdo profissional, principalmente com o investimento em canais parceiros, os clipes musicais continuam sendo os conteúdos mais atrativos e populares entre os jovens no serviço.

Em contrapartida, o investimento seria ideal para a Vevo, que trabalha com margens de lucro muito reduzidas. Tanto no acordo antigo como no novo, a empresa terá que repassar cerca de um terço da sua receita ao YouTube e mais de 50% para as gravadoras. O atual CEO da Vevo, Rio Caraeff, afirmou que a empresa faturou mais de US$ 150 milhões (R$ 305 milhões) em 2011 e estima que os rendimentos para 2012 cheguem perto dos US$ 280 milhões (R$ 570 milhões).