YouTube deverá cortar de 60 a 70% dos investimentos em conteúdos de canais

Por Redação | 12 de Novembro de 2012 às 13h19
photo_camera Fayer Wayer
TUDO SOBRE

YouTube

Depois de quase um ano após o Google ter investido US$ 100 milhões (cerca de R$ 200 milhões) na criação de novos canais parceiros e na produção de conteúdos para web, a empresa decidiu manter os investimentos em apenas 30 a 40% dos canais parceiros.

Na primeira etapa do projeto, o YouTube empregou uma política de investimento um tanto dispersa, financiando a produção de uma grande variedade de produtores e de projetos. E, depois de um ano, a empresa conseguiu avaliar melhor quais desses conteúdos funcionaram com seu público, principalmente, entre os jovens, que preferem produções de humor, música, carros e esportes.

Os principais 25 canais que receberam incentivos do YouTube já possuem mais de um milhão de visualizações por semana, e os integrantes do top 33 contam com mais de 100 mil assinantes. Esses números indicam que eles conseguiram construir uma audiência fiel ao longo desse primeiro ano.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

YouTube dólares

A empresa analisou a audiência e o custo dos conteúdos de cada canal

O valor dos novos investimentos deverá girar em torno do mesmo valor fornecido em 2011. A maioria dos canais recebeu investimento de US$ 1 milhão a US$ 5 milhões (R$ 2 milhões a R$ 10 milhões), para produzir conteúdos exclusivos para o YouTube. "Nós analisamos a audiência que eles foram capazes de alcançar e o custo do conteúdo, permitindo que nós conseguíssemos determinar os canais que estão proporcionando o melhor retorno sobre o nosso investimento", afirmou ao AdAge Jamie Byrne, chefe de estratégia de conteúdo global.

Já os canais que não receberem a segunda rodada de investimentos do YouTube deverão realizar o que foi proposto se quiserem manter o valor repassado pela companhia no último ano. Além disso, eles também poderão desistir do conteúdo e se desvincular do serviço de vídeos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.