YouTube começa a culpar provedores por lentidão no carregamento de vídeos

Por Redação | 07.07.2014 às 11:52

Há um mês a Netflix decidiu colocar na conta dos provedores de Internet a culpa pela baixa qualidade dos vídeos transmitidos pelo serviço. A decisão gerou tanta polêmica que a empresa teve que vir a público se retratar e explicar que tudo não passava de "uma série de testes". Todo o caso foi revertido no dia 16 de junho, quando o serviço deixou de exibir a mensagem que culpava os provedores.

Apesar disso, parece que a controvérsia acabou sendo suficiente para fazer escola e agora é o YouTube que está adotando a mesma estratégia. Desde sábado (05) o maior site de streaming do mundo está culpando os provedores pela lentidão no carregamento dos seus vídeos.

Aviso vem sendo exibido na parte inferior do player de vídeos do site e atiça o usuário a consultar os motivos com um botão à direita:

Aviso vem sendo exibido na parte inferior do player de vídeos do site e atiça o usuário a consultar os motivos com um botão à direita: "descubra o por quê" (Imagem: Reprodução)

A mensagem aparece numa caixa azul logo abaixo do player de vídeo e pergunta: "experimentando interrupções?". Logo à direita, um botão atiça o usuário, encorajando-o a descobrir o motivo. Clicando nele, um novo site do Google abre e exibe testes de velocidade para a transmissão de vídeos de vários provedores ao redor do mundo. Além disso, uma cartilha explica que a culpa pela lentidão no carregamento dos vídeos nem sempre é do YouTube ou do Google.

É evidente que a ação tenta livrar o Google e o YouTube das reclamações dos usuários, que não raramente os culpam pela lentidão do carregamento. Além disso, é clara a preocupação da empresa com a chamada neutralidade de rede, já discutida previamente pelo Marco Civil da Internet brasileira, mas em voga nos Estados Unidos somente agora.

Lá, os provedores de internet querem que serviços como YouTube e Netflix sejam responsabilizados pelo aumento exponencial do tráfego nas redes, quando o princípio defende que todos os tipos de dados devem ser tratados da mesma forma, sem discriminação.

Intitulada

Intitulada "Video Quality Report", nova ferramenta permite consultar a qualidade da conexão quando o assunto é transmissão de vídeos. Google chegou até mesmo a criar um selo de garantia de qualidade da conexão, o "YouTube HD Verified" (Imagem: Reprodução/The Verge)

Apesar de toda a quebra de braço, parece mesmo que o Google levará a nova ferramenta adiante. Por enquanto ela está disponível somente para os residentes nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. A expectativa, no entanto, é que muito em breve, outros países comecem a ter seus provedores avaliados e certificados com o selo "YouTube HD Verified", uma espécie de selo de garantia de qualidade de serviço.

Leia mais sobre o YouTube: