"Vigilância digital dos governos está em ascensão", afirma Google

Por Redação | 27.11.2012 às 09:45

O Google revelou na última semana seu relatório anual de Transparência e afirmou que a vigilância dos meios digitais por parte dos governos está em ascensão. A afirmação se deve ao registro de um maior número de pedidos de remoção de conteúdo e de acesso de dados dos seus usuários.

No primeiros seis meses de 2012, o Google registrou mais de 21 mil pedidos de acesso aos dados de usuários por governos de diversos países ao redor do mundo. Os Estados Unidos lideraram o ranking com 7.969 pedidos entre janeiro e junho e o Brasil apareceu em terceiro lugar com 1.566 solicitações de acesso de dados e 191 pedidos de remoção de conteúdo.

"Esta é a sexta vez que divulgamos estes dados, e uma tendência se tornou clara: a vigilância dos governos está em ascensão", afirmou em postagem no blog oficial da empresa Dorothy Chou, analista sênior de políticas do Google. "No primeiro semestre de 2012, houve 20.938 pedidos de consultas de entidades governamentais no mundo todo. Esses pedidos foram para obter informações sobre 34.614 contas Google".

Assim como outras empresas de tecnologia, a gigante da Web está constantemente recebendo solicitações e mandados judiciais para revelar dados de seus usuários ou até remover conteúdos de suas plataformas, como é caso do YouTube. Além dos históricos de busca, o Google também armazena dados de contatos dos usuários através do Gmail, preferências de visualização no YouTube, fotos no Picasa, documentos armazenados no Google Drive e informações sobre os autores de blogs na plataforma Blogger.

Gráfico pedidos remoção de conteúdo Google

Reprodução: Daily Mail

O Google nem sempre cumpre com os pedidos de visualização de dados e em seu relatório, publicado duas vezes ao ano desde 2009, ele apresenta a porcentagem de solicitações que foram atendidas. E no último levantamento, os Estados Unidos lideraram o ranking novamente com 90% dos pedidos concluídos, seguido pelo Brasil com 76% dos casos resolvidos.

A empresa também recebeu 1.791 pedidos de remoção de conteúdo por governos, registrando um aumento de 1.048 solicitações em comparação ao último levantamento de 2011, entre julho e dezembro. Entre os principais motivos para o pedido de remoção de conteúdo estão casos de difamação, invasão de privacidade e segurança e, em terceiro, casos de roubo de conteúdos protegidos por direitos autorais.

Um porta-voz da empresa revelou à BBC que o relatório funciona como um termômetro para o comportamento governamental e também sobre as leis locais. "Ele reflete as leis dos países. Por exemplo, na Turquia, há leis específicas sobre difamar pessoas públicas, enquanto na Alemanha recebemos muitos pedidos para a remoção de conteúdos neo-nazistas", exemplificou o porta-voz. "E no Brasil recebemos muitos pedidos de remoção de conteúdo durante as eleições, porque existe uma lei que proíbe paródias e brincadeiras com candidatos".

Além disso, o Google afirmou que os dados que revela anualmente são apenas uma parcela isolada sobre a relação dos governos com a internet, já que eles não têm dados de outras empresas de comunicação e tecnologia. E a companhia espera que, em um futuro próximo, mais dados sejam divulgados publicamente e levantem novas discussões sobre rede, privacidade, segurança e leis.