Procurador-geral do Egito quer proibir a pornografia na Internet

Por Redação | 09.11.2012 às 06:20 - atualizado em 09.11.2012 às 09:11

O Ministério Público do Egito anunciou que pretende censurar o conteúdo pornográfico presente na Internet. O Procurador-Geral do país, Abdel Meguid Mahmoud, ordenou aos ministérios do governo que decretassem a proibição de sites pornográficos no Egito.

A decisão foi tomada com base em um decreto de três anos atrás, feito pelo Tribunal Administrativo do Egito, que dizia que "a liberdade de expressão e os direitos públicos devem ser restringidos para manter os fundamentos da religião, moral e patriotismo". O Procurador-geral tratou a pornografia como "venenosa e vil".

Ainda não ficou claro como é que ele pretende implantar essa proibição no país, mas acredita-se que o Egito pode seguir os passos do Paquistão, que proíbe periodicamente centenas de milhares de sites pornográficos, mas ainda não conseguiu implementar um sistema de bloqueio e filtragem nacional.

Esse sistema de "lista de bloqueio" é uma espécie de gota em um oceano, afinal, milhares de novos sites pornográficos surgem todos os dias. Por outro lado, a implementação de um sistema nacional de filtragem é potencialmente caro. Além disso, este modelo também poderia resultar no bloqueio de sites não relacionados à pornografia, tais como sites que discutem câncer de mama ou os direitos dos homossexuais.