Procurador-geral do Egito quer proibir a pornografia na Internet

Por Redação | 09 de Novembro de 2012 às 06h20

O Ministério Público do Egito anunciou que pretende censurar o conteúdo pornográfico presente na Internet. O Procurador-Geral do país, Abdel Meguid Mahmoud, ordenou aos ministérios do governo que decretassem a proibição de sites pornográficos no Egito.

A decisão foi tomada com base em um decreto de três anos atrás, feito pelo Tribunal Administrativo do Egito, que dizia que "a liberdade de expressão e os direitos públicos devem ser restringidos para manter os fundamentos da religião, moral e patriotismo". O Procurador-geral tratou a pornografia como "venenosa e vil".

Ainda não ficou claro como é que ele pretende implantar essa proibição no país, mas acredita-se que o Egito pode seguir os passos do Paquistão, que proíbe periodicamente centenas de milhares de sites pornográficos, mas ainda não conseguiu implementar um sistema de bloqueio e filtragem nacional.

Esse sistema de "lista de bloqueio" é uma espécie de gota em um oceano, afinal, milhares de novos sites pornográficos surgem todos os dias. Por outro lado, a implementação de um sistema nacional de filtragem é potencialmente caro. Além disso, este modelo também poderia resultar no bloqueio de sites não relacionados à pornografia, tais como sites que discutem câncer de mama ou os direitos dos homossexuais.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.