Polêmica nos blogs: transparência ou falsidade?

Por Luciana Zaramela | 24.07.2012 às 13:50

Desde que foi liberada a troca de informações na internet e surgiram os blogs, muitas pessoas criam, passam e repassam informações sem consultar a fonte, sem saber a procedência e sem se preocupar com a veracidade dos fatos.

Livro Truste Me I'm Lying

Uma questão relevante em relação à forma como recebemos a informação hoje em dia foi levantada por Nicholas White, editor do The Daily Dot, e publicada no site do YouPix: será que os blogs estão fazendo com que as notícias sejam mais transparentes ou estão tornando-as cada vez mais falsas?

O barulho começou quando o publicitário Ryan Holiday lançou o livro "Trust me I'm Lying" (Confie em mim, estou mentindo). O autor revelou vários episódios, contando como enganou blogueiros, manipulando a mídia e fazendo com que eles postassem as notícias como se fossem verdadeiras. Dentre as histórias contadas por Holiday, havia uma em que vários anúncios de um filme foram comprados, vandalizados, fotografados e enviados aos blogueiros, para fazê-los acreditar que estaria rolando um protesto contra este filme por aí. Eles acreditaram. E publicaram.

E como não raramente acontece, uma notícia falsa publicada muitas vezes em muitos blogs, acaba chegando aos grandes veículos e corre o risco de ser publicada também. Aí é a gota d'água para que os internautas acabem caindo como patinhos e repassem a informação também no boca-a-boca.

Meme Troll

Um grande exemplo que ocorreu há pouco tempo aqui no Brasil foi quando Maurício Cid, do Não Salvo, espalhou para todo o mundo que Edgar Vivar, o Seu Barriga, do Chaves, tinha morrido. Foi o maior exemplo de como "trollar" a internet é ridiculamente fácil.

Segundo ele, "a imprensa é preguiçosa. E nós gostamos do caos. O resultado disso são esses jornalistas de Twitter dando notícia falsa".

Plantar boatos é muito fácil, pois as pessoas não querem saber de onde veio a informação. Se ela é de verdade. Se realmente existe. Voltando ao que disse White, parece que estamos nadando contra a corrente. Ao invés de utilizarmos a internet para compartilhar conhecimento, estamos distribuindo cada vez mais falácias e hoaxes.

E por falar em hoax, outro recentemente divulgado foi a data do DeLorean, de De Volta Para o Futuro, com o ano alterado para 2012. A "trollagem" foi tão grande no Facebook e demais redes sociais que o site Mashable teve que explicar que a data em que o carro do Doutor Emmett Brown voltaria para o futuro era dia 21 de outubro de 2015, e não há quase um mês, no dia 27 de junho de 2012. Menos ingenuidade, mais informação.

De Volta para o Futuro - montagem

Montagem que circulou nas redes sociais. No detalhe, a imagem original.

Cabe a nós, habitantes da websfera, sermos mais catedráticos ao passarmos uma informação. Desconfie de notícias com referências duvidosas ou sem referência nenhuma. Na era do conhecimento e da inclusão digital, ainda existe muito troll tentando disseminar a falácia, e o que é pior: muitos desavisados contribuindo para sua propagação.

Afinal, qual seria a melhor forma de solucionar este problema? Para isso, como fez Nicholas White, é sempre válido relembrar o velho adágio:

"Se sua mãe diz que te ama, verifique a informação".