Nova internet de fibra óptica é capaz de baixar a internet inteira em segundos

Por Redação | 30.10.2014 às 09:20

Uma nova tecnologia apresentada por um grupo de pesquisadores americanos e holandeses tem potencial para aumentar de maneira absurda a velocidade da internet em um futuro um tanto quanto distante, além de diminuir para apenas um a quantidade de cabos necessários. Trata-se de uma fibra óptica “multicore” que, em testes, foi capaz de transmitir 31,8 TB de dados por segundo a uma distância de pouco mais de um quilômetro.

Os testes, claro, foram realizados em laboratório e sob circunstâncias controladas, mas não tem como ficar impressionado com os dados obtidos que, de acordo com o site ExtremeTech, correspondem ao volume de dados de toda a internet mundial em seus horários de pico. Ou seja, um único cabo seria capaz de levar adiante toda a informação trafegada na rede, algo que pode diminuir de forma significativa os custos e trabalho envolvidos com infraestrutura e manutenção de redes.

A tecnologia possui sete canais separados capazes de suportar até 50 carriers cada um. Por meio do que os pesquisadores chamaram de multiplexing espacial, foi possível transmitir 5,1 TB de informação por segundo a partir de cada “fio”, resultando em uma velocidade de transmissão que é 2,5 mil vezes mais rápida que as fibras comerciais utilizadas hoje em instalações caseiras ou empresariais.

Mas é melhor esperar sentado, já que a novidade ainda está bem longe de ser implementada no mercado. Os testes e desenvolvimento da tecnologia foram feitos sob condições laboratoriais e ainda não há como produzir a nova fibra óptica em grande escala, um processo que, mesmo se fosse possível, seria caro a ponto de inviabilizar sua utilização.

De qualquer maneira, a inovação já está aí e uma vez que mais testes forem realizados e o verdadeiro funcionamento da tecnologia for provado, os pesquisadores partem para a segunda e mais complicada etapa, a de garantir que tudo possa chegar aos consumidores. Portanto, ainda vamos esperar alguns anos antes de podermos fazer o download da internet inteira durante o nosso horário de almoço.