McAfee diz em entrevista que teme morrer na prisão de Belize

Por Redação | 14 de Novembro de 2012 às 10h00

John McAfee, fundador da empresa de antivírus que leva seu nome, alega que está sendo injustamente acusado por funcionários corruptos do governo de Belize, e diz ainda que teme por sua vida.

Em entrevista concedida via telefone ao The Wired, McAfee disse que é por isso que está fugindo da polícia desde que foi acusado de matar seu vizinho na manhã do último domingo (11). Gregory Faull, de 52 anos, foi encontrado em sua própria casa com um ferimento de bala na cabeça.

Entenda o caso do assassinato do vizinho de John McAfee

Faull, um empreiteiro e dono de restaurante, havia reclamado dos cães de McAfee - ele possui 11 em sua propriedade - e também dos seus seguranças, que ficavam armados. Na noite de sexta-feira (09), quatro de seus cães foram envenenados. Dois dias depois, Faull apareceu morto.

Após o crime, a polícia foi até a casa de McAfee para interrogá-lo, mas ele se escondeu de uma maneira um tanto bizarra, conforme contou ao repórter do Wired. Ele se enterrou na areia e cobriu a cabeça com uma caixa de papelão. McAfee passou 18 horas escondido em sua propriedade antes de fugir.

Ele afirma ainda que muitas pessoas morrem nas prisões de Belize, inclusive, muitas se suicidam ou são espancadas até a morte por outros internos. McAfee acredita ainda que, se sobreviver aos 30 dias que o governo tem para reunir provas e acusar alguém de um crime, o juiz irá julgá-lo como culpado de qualquer maneira.

O empresário acredita que a perseguição policial contra ele começou em abril, quando as autoridades o acusaram de tráfico de drogas e porte ilegal de armas. McAfee afirma que vai continuar escondido o maior tempo possível.

"Pode dizer que sou paranoico, mas eles querem me matar, não há dúvidas. Tentaram me pegar durante meses, querem me silenciar. Não agrado ao primeiro-ministro, sou um espinho para todos", diz McAfee.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.