Julian Assange critica produção hollywoodiana sobre o Wikileaks

Por Redação | 24 de Janeiro de 2013 às 18h05

Julian Assange, fundador do site Wikileaks, afirmou nesta quarta-feira (24) durante uma videoconferência com alunos da Universidade de Oxford a partir da embaixada do Equador em Londres, Inglaterra, que a produção hollywoodiana sobre o seu site nada mais é do que um "ataque de propaganda massiva". As informações são do Australian Times.

O ativista, que se encontra exilado na embaixada equatoriana desde junho do ano passado, afirmou que teve acesso a uma das cópias do roteiro, intitulado 'The Fifth Estate' (O Quinto Estado, em tradução livre), e que tudo que será retratado ali é mentira. O filme está previsto para estrear em novembro deste ano.

"Mentira sobre mentira. O filme é um ataque de propaganda massiva contra o Wikileaks e os membros da minha equipe", declarou. Assange também acusou o longa-metragem de "jogar lenha na fogueira" no conflito com o Irã quando sugere que a República Islâmica está produzindo uma bomba nuclear em segredo, algo que as autoridades locais negam.

Julian Assange embaixada

Assange acusou o filme de "colocar lenha na fogueira" no conflito com o Irã

O filme, produzido pela DreamWorks, já começou a ser rodado e contará com o ator Benedict Cumberbatch no papel de Julian Assange e Daniel Brühl interpretando o antigo porta-voz do Wikileaks, Daniel Domscheit-Berg. A direção ficará por conta de Bill Condon, que dirigiu os dois últimos filmes da saga Crepúsculo.

O governo norte-americano procura por Julian Assange, que evita ser extraditado para a Suécia, onde é acusado de abusar sexualmente de suas companheiras de Wikileaks, após a publicação de documentos secretos sobre as guerras do Iraque e Afeganistão em 2010. Além disso, o site também revelou algumas mensagens diplomáticas trocadas entre Estados Unidos e outros países.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.