John McAfee hackeia smartphone de apresentador ao vivo na TV

Por Redação | 15.01.2015 às 18:24 - atualizado em 16.01.2015 às 12:31

Um dos casos de grande destaque na imprensa mundial nas últimas semanas é o ataque hacker que revelou centenas de documentos secretos da Sony Pictures. Embora a situação pareça aparentemente controlada, ainda há muito mistério por trás das investigações e comunicados oficiais divulgados pela empresa. Talvez nunca saibamos todos os detalhes do que aconteceu, mas é possível ter uma ideia do quão simples parece ser invadir um dispositivo eletrônico nos dias atuais.

Prova disso foi uma demonstração feita pelo excêntrico John McAfee, milionário e fundador da companhia de antivírus que leva seu sobrenome. Durante uma entrevista para o programa Varney & Company desta semana, no canal Fox Business, o executivo mostrou ao jornalista Stuart Varney sua visão de como pode ter ocorrido o ataque à Sony, no final do ano passado. Para tal, McAfee conseguiu, ao vivo, hackear o smartphone do apresentador.

Uma vez invadido o telefone, o programador obteve acesso ao sistema de caixa postal que lhe permitiu visualizar a lista de contatos do aparelho. Depois, ele efetuou uma ligação para o celular de Varney, cuja origem indicava ser um número corporativo da Fox News. De acordo com McAfee, os hackers teriam imitado agentes do órgão americano FBI e, sob a justificativa de "medidas de segurança governamentais", solicitado nomes de usuários e senhas de todos os funcionários da Sony Pictures que pudessem conseguir.

Abaixo você assiste ao vídeo completo do hack feito pelo criador do antivírus McAfee:

Apesar da hipótese do milionário até fazer sentido, a afirmação contraria as declarações do FBI ao Congresso dos Estados Unidos. Em nota oficial, a entidade alegou que o ataque aconteceu devido a uma das maiores e mais complexas brechas de segurança da história, que causou um prejuízo de mais de R$ 200 milhões à Sony. Além disso, o governo disse que a invasão partiu da Coreia do Norte, mas o país negou a autoria das ações.

Leia mais sobre os ataques à Sony: