Internautas ajudam a procurar avião desaparecido na Ásia em imagens de satélite

Por Redação | 12 de Março de 2014 às 17h17

No último sábado (8), um Boeing 777 da companhia aérea Malaysia Airlines desapareceu no sudueste asiático a caminho de Pequim, depois de ter partido de Kuala Lumpur. As teorias para o sumiço do avião são muitas, porém, enquanto nenhum sinal ou pista dos destroços do avião são encontrados, internautas têm ajudado na procura dos 239 passegeiros do voo.

A operadora norte-americana de satélites DigitalGlobe está usando dois dos seus cinco satélites para captar imagens da região do Golfo da Tailândia e do Mar da China, lugar onde o avião poderia ter caído. Além disso, as imagens estão sendo publicadas em uma plataforma online, a Tomnod, para que usuários examinem as fotos minuciosamente e possam encontrar indícios dos destroços.

Tomnod

Na primeira hora em que as imagens foram publicadas, o site de crowdsourcing recebeu 60 mil visitas, segundo o Wired. Já em entrevista ao Wall Street Journal, um porta-voz da DigitalGlobe afirmou que as fotos já foram vista por mais de 100 mil pessoas, o que significa que cada pixel gerado já foi visto mais de 100 vezes.

Por conta do alto número de acessos, a plataforma chegou a ficar fora do ar por diversas vezes nas últimas horas. Contudo, até agora nenhuma das 100 mil pessoas foi capaz de identificar nenhum sinal do Boeing.

Em situações comuns, a DigitalGlobe vende imagens de satélites para governos e empresas privadas. Mas esta não é a primeira vez que a companhia ajudou em buscas. No ano passado, ela usou o mesmo método para procurar por um navio que sumiu na costa australiana.

Confusão no Google Maps

Enquanto usuários tentam procurar pelo avião da Malaysia Airlines, alguns usuários acreditam tê-lo encontrado no Google Maps. De acordo com o The Telegraph, diversas pessoas teriam contatado jornais locais e o próprio Google para avisar que "acharam" o avião nas imagens do serviço.

As fotos do serviço mostrariam um avião sobrevoando o mar no perímetro de buscas, o que teria confundido muitos internautas. Vale lembrar, no entanto, que as fotos não são representadas em tempo real e, em muitos casos, os locais foram cartografados há anos.

O Google já avisou aos seus usuários que não procurem por vestígios no Maps. "Essas imagens que são capturadas às vezes podem mostrar aviões em sua trajetória de voo e não podem ser presumidas como o possível local do acidente", disse um porta-voz da gigante de buscas ao Telegraph.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.