Hugo Barra fala sobre sua saída do Google e seus planos para a Xiaomi

Por Redação | 13 de Setembro de 2013 às 07h45

Nos últimos anos, o brasileiro Hugo Barra foi o rosto do Android durante as apresentações do Google. No entanto, há algumas semanas ele anunciou que estava deixando seu emprego no gigante da web para fazer parte da equipe da fabricante chinesa de smartphones Xiaomi, onde agora atua como vice-presidente global. À primeira vista, a saída de Barra do Google pareceu abrupta demais, porém ele revelou ao AllThingsD que a mudança já estava em andamento há algum tempo.

O executivo conta que começou a conversar com a Xiaomi há mais de um ano, logo após o primeiro Nexus 7 ter sido anunciado. O presidente da companhia chinesa, Bin Lin, também é um ex-Googler, que Barra conheceu assim que começou a trabalhar na empresa de Mountain View em 2008. Na verdade, a Xiaomi foi formada em grande parte por ex-engenheiros do Google na China.

Barra explica que quando começou a cogitar a oferta de emprego da fabricante chinesa há alguns meses, ele deixou o Google ciente da situação. No momento de sua saída, a empresa do Android inclusive manifestou sua tristeza por perder o executivo, apesar de que ter um aliado ocupando um dos cargos mais altos de uma fabricante chinesa não é algo ruim para o Google. Apesar de não ser muito popular por essas bandas, a Xiaomi é frequentemente chamada de Apple da China, pois ela vende milhões de telefones e recebe notas altas de seus colaboradores.

Planos da Xiaomi

A Xiaomi é uma empresa que se orgulha de fabricar dispositivos potentes e baratos de maneira rápida, uma combinação que funciona perfeitamente no mercado chinês, mas Barra acredita que outros mercados asiáticos também poderiam ser perfeitos para a fabricante – por sinal, aumentar a penetração nesses mercados é uma das principais responsabilidades do brasileiro na companhia.

Em relação ao mercado norte-americano, Barra ainda não tem nada muito concreto para dizer. Ele sabe que seu novo empregador precisa ter uma presença nos mercados ocidentais para expandir os negócios, mas isso é algo que pode exigir um novo tipo de produto. Barra vai começar suas atividades oficialmente na Xiaomi em outubro, mesmo tendo subido ao palco com o presidente Lin para participar do anúncio do smartphone Mi3, o último lançamento da fabricante. Por enquanto, ele está planejando sua mudança para Pequim e treinando seu chinês – talvez essa, na verdade, seja uma de suas tarefas mais difíceis.

Romance no Google

A notícia da saída de Barra do Google coincidiu com uma polêmica pessoal que tornou-se pública. Supostamente, uma funcionária da empresa com quem ele havia terminado recentemente um relacionamento se envolveu com o cofundador da gigante de buscas, Sergey Brin.

O executivo diz que tudo não passou de um timing infeliz, que coincidiu os boatos do antigo affair e seu chefe com sua saída do Google, que agora já sabemos que estava sendo planejada muito antes da história da "rádio-peão".

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.