Google e Yahoo! são acusados de financiar pirataria

Por Redação | 03 de Janeiro de 2013 às 11h20
photo_camera Café com Notícias
Tudo sobre

Yahoo

A Universidade do Sul da California, Estados Unidos, divulgou nesta quarta-feira (2) um novo levantamento sobre redes de anúncios e propaganda que aparecem em sites de compartilhamento de músicas e filmes piratas, e acusou os sistemas de propaganda do Google e do Yahoo! de serem os principais financiadores desse tipo de serviço e conteúdo ilegal.

Os pesquisadores analisaram as redes de anúncios usadas para colocar propragandas em sites ilegais que são acusados de infringir os direitos autorais sobre filmes e músicas. No levantamento da universidade, o Google ficou em segundo lugar no ranking de maior financiador de conteúdos piratas, e o Yahoo! apareceu na sexta colocação.

Em primeiro lugar, se encontra a OpenX, empresa com sede em Pasadena, California. Para realizar sua pesquisa e compilar os 10 mecanismos que mais financiam anúncios em sites de pirataria, a universidade utilizou o próprio Relatório de Transparência do Google, que apresenta os sites que mais recebem solicitações de remoção de conteúdos com direitos autorais.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A CNET contatou o Google para comentar sobre o relatório e o porta-voz da empresa afirmou que não viu o documento completo da USC, mas afirmou que foi um grande erro acreditar que o motor de anúncios da empresa é um dos principais financiadores de sites ilegais. "A complexidade da publicidade online tem levado algumas pessoas a concluir erroneamente que a mera presença de um código do Google em um site indica que aquele conteúdo recebe apoio financeiro do Google", concluiu o porta-voz.

Há alguns anos, empresas de entretenimento têm pressionado o Google para remover dos seus resultados de busca sites e serviços de compartilhamento de músicas e filmes ilegais, bem como para bloquear as redes de publicidade para essas páginas, evitando o tráfego e a arrecadação de fundos. A gigante da Web, que vende filmes e músicas através da Google Play, concordou com alguns termos e removeu milhares de URLs de sites que infringem os direitos autorais de sua busca, mas a indústria do entretenimento espera que o Google ainda faça mais.

Além disso, os pesquisadores da universidade norte-americana planejam divulgar mensalmente uma lista com as redes de publicidade que mais aparecem nos sites ilegais. Confira abaixo a lista completa:

1. OpenX

2. Google (incluindo o Double Click)

3. Exoclick

4. Sumotorrent

5. Propellerads

6. Yahoo! (incluindo Right Media)

7. Quantcast

8. Media Shakers

9. Yesads

10. Infolinks

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.