Getty cria banco com 35 milhões de imagens grátis para blogueiros

Por Redação | 06.03.2014 às 10:38

A Getty Images, uma das mais importantes detentoras de bancos de imagens do mundo, anunciou nessa quarta-feira (05) um novo recurso que promete mudar a relação entre blogs e imagens de bancos. A empresa passou a disponibilizar mais de 35 milhões de imagens para uso não-comercial para quem quiser. Isso significa que, a partir de agora, sites e blogs poderão usar as imagens gratuitamente para a ilustração de conteúdo, mesmo que os endereços tenham receita com publicidade.

O famoso banco de imagens vê o movimento como um avanço no mundo digital e uma quebra de barreiras na forma de apresentar conteúdo online. “Inovação e ruptura são a base da Getty Images e estamos animados para abrir a nossa vasta e crescente coleção de imagens, facilitando o compartilhamento legal de uma nova maneira que beneficie nossos colaboradores e parceiros de conteúdo. Isso ajuda a avançar em nossa missão principal de permitir um mundo mais rico visualmente”, disse em comunicado Jonathan Klein, co-fundador e CEO da Getty Images.

getty

A ação é uma resposta encontrada pela Getty ao uso desenfreado de imagens de forma ilegal, algo que acontecia não somente por meio de blogs, mas também em conteúdo editorial de grandes veículos. Com a nova medida, a Getty passa a disponibilizar um código que pode ser incorporado ao HTML de qualquer site.

No local em que a imagem será incluída um “player” será exibido, de forma semelhante ao encontrado no YouTube. O sistema deve incluir neste espaço informações completas sobre direitos autorais e o licenciamento de imagem da Getty para aquele site. A ferramenta também possibilita à Getty o total rastreamento das imagens, permitindo um controle sobre em que endereços virtuais o conteúdo está sendo utilizado.

A Getty, no entanto, reforça que o novo acordo diz respeito apenas a uma parte do acervo da empresa e que a nova possibilidade não muda de qualquer forma os contratos anteriores, nem mesmo faz com que a empresa retroceda em processos em casos de infração de direitos.