Fundador do Silk Road é considerado culpado e pode pegar prisão perpétua

Por Redação | 06 de Fevereiro de 2015 às 08h35

O Silk Road foi um dos pivôs de um dos maiores escândalos sobre o mercado de entorpecentes nos Estados Unidos. O site ficou dois anos no ar, de 2011 até 2013, quando foi derrubado pelo FBI. Neste tempo, movimentou US$ 1,2 bilhão, segundo as autoridades. O fundador, Ross William Ulbricht, foi acusado de tráfico de drogas, invasão de computadores e lavagem de dinheiro e condenado pelos três crimes.

O julgamento, que foi encerrado nesta semana, declarou Ulbricht culpado das acusações. O Tribunal Federal de Manhattan concordou com a acusação de que Ulbricht era o narcotraficante conhecido como “Dread Pirate Roberts”, que foi o idealizador e esteve a frente do Silk Road. As informações foram fornecidas pelo FBI em um comunicado.

O tribunal irá decidir agora qual será a sentença de Ulbricht. Caso a defesa consiga que ele pegue as sentenças mínimas obrigatórias nas três acusações, ele seria condenado a 30 anos de prisão. A sentença máxima para o caso dele é a prisão perpétua. Ulbricht tem 30 anos e nasceu na Califórnia.

Desde o início do julgamento a defesa de Ulbricht, com o advogado Robert Dratel, afirmou que ele tinha começado o Silk Road, mas o objetivo sempre foi mostrar que ele não continuou no comando do site e que não haveria provas suficientes para comprovar que ele manteve o site em funcionamento.

A defesa focou em convencer a promotoria de que não era possível afirmar que Ulbricht era Dread Pirate Roberts, que foi o codinome usado por quem esteve a frente do site desde a sua criação até a suspensão pelo FBI. Segundo o advogado de defesa, a identidade digital é algo obscuro e não pode ser confirmado.

Dratel chegou a acusar Mark Karpeles, ex-CEO da Mt. Gox, uma casa de câmbio de Bitcoins, de ser Dread Pirate Roberts e afirmou que ele armou para que Ulbricht fosse culpado. A ligação tem a ver com a principal moeda de troca no Silk Road, os Bitcoins.

O júri, no entanto, afirmou que existem provas ligando Ulbricht ao Silk Road e ao codinome Dread Pirate Roberts, como a transferência de US$ 13,4 milhões entre o site e o computador pessoal dele, além de diários pessoais que comprovam a ligação. Com tais provas, a promotoria declarou Ulbricht culpado de “empreendimento criminoso contínuo”.

Segundo o FBI, Ulbricht é suspeito de ter encomendado seis assassinatos no período em que comandou o Silk Road, pagando para que os crimes fossem cometidos por assassinos de aluguel. No entanto, segundo as autoridades, ele não foi julgado por tais crimes, pois não há provas que eles realmente aconteceram.

Mesmo com o fim do Silk Road em 2013, que era hospedado na rede Tor, o FBI continua com problemas inspirados no sucesso do empreendimento. Um novo site chamado Silk Road 2.0, por exemplo, já chegou a ser aberto na deep web, mas foi fechado em novembro pelo FBI.

Agora, um novo site intitulado Silk Road Reloaded, está driblando as autoridades e oferecendo drogas e outros produtos ilícitos em troca de oito tipos de criptomoeda e não apenas o Bitcoin.

Fonte: http://www.fbi.gov/newyork/press-releases/2014/manhattan-u.s.-attorney-announces-the-indictment-of-ross-ulbricht-the-creator-and-owner-of-the-silk-road-websitehttp://gizmodo.uol.com.br/silk-road-prisao/

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.