Fundador do Airbnb não se incomoda (muito) com as piadas sobre seu novo logo

Por Redação | 21.07.2014 às 07:40

Nesta semana, o serviço de locação de casas e apartamentos para hospedagem Airbnb passou por uma reestruturação visual completa, ganhando mudanças no layout e também um novo logo que, rapidamente, virou piada. A semelhança com as partes “de baixo” de uma mulher fez com que muita gente, nas redes sociais, risse do conceito, taxando-o como desperdício de dinheiro e colocando-o em listas de maiores erros já cometidos por uma marca.

No jantar de lançamento do conceito, em São Francisco, nos Estados Unidos, o co-fundador da empresa, Nathan Blecharczyk, mostrou-se um pouco incomodado com a questão. Para ele, as pessoas estão livres para rirem o quanto quiserem do novo logo. Por outro lado, o executivo critica o fato desse pessoal não enxergar além das aparências e ver apenas o que está diante dos olhos.

“Esse foi o trabalho de dezenas de pessoas durante um ano”, afirmou ele, em entrevista ao site Recode. “É algo que tem um significado, que ninguém ainda parou para entender. Não desenharíamos [algo] que tenha relação com o menor denominador comum”, explicou Blecharczyk.

Ele comparou a atual situação com o logo da Nike, o qual todos sabem que não se trata apenas de um sinal de marcação, e sim, algo maior. No caso do Airbnb, tratam-se das histórias pessoais de gente que viaja por aí e se encontra ao redor do mundo, como a contada por ele durante o jantar, sobre um americano que começou a alugar um quarto vago em casa para ajudar a pagar as despesas médicas do pai.

Para outros presentes no evento, trata-se de uma fixação. Os convidados são membros proeminentes da comunicade do Airbnb, seja na posição de viajantes, locatários ou donos de restaurantes. E, mesmo entre eles, a mudança na marca soou um pouco estranha, para não dizer ambígua. “As pessoas pensam muito em vaginas, deve ter algo a ver com isso. Mas não é algo que poderíamos ter previsto”, disse Christy, que trabalha no departamento de marketing da empresa. O Recode não informou o sobrenome dela.

O designer gráfico Justin Beaver, também presente na festa, foi um dos que conseguiu ir além do desenho. “É feminino, tem curvas. A forma triangular traz estabilidade. É pink, então parece seguro. E a curva interior indica que é algo caseiro”, analisou, provavelmente chegando bem perto da ideia original da The Design Studio, agência inglesa responsável pelo novo desenho.

O conceito original tem a ver com localização e se chama Bélo. As voltas internas convergem no formato de uma casa e constituindo o símbolo tradicional que é mostrado em um mapa quando procuramos por um enredeço. De acordo com as informações do site TechCrunch, o "A" estilizado da identidade original é substituída agora por curvas que não deixam de representar a letra, mas passam uma indicação de algo maior.

Seja como for, a ideia visual está aí para ficar. O principal problema do Airbnb, no momento, não são as piadas das redes sociais, mas sim, a ameaça de regulação por parte do governo norte-americano. Entre relatos de uso dos apartamentos e hospedagens do site para fins ilegais, órgãos oficiais tentam rever a situação de locações de imóveis residenciais para tais fins, uma mudança que pode ter impacto bem grande nos negócios da companhia.