Fotógrafo cria identidade para pessoa fictícia com ajuda da Deep Web

Por Redação | 30 de Dezembro de 2013 às 14h24

A Deep Web esconde não só segredos, mas também é um arsenal de ilegalidades, como por exemplo, comprar drogas ou órgãos. Mas muito além disso, é possível ainda criar uma pessoa fictícia. E foi isso que Curtis Wallen, um fotógrafo americano, fez. Navegando pelo modo obscuro, Wallen conseguiu colocar no mundo Aaron Brown, um homem que não existe.

Tudo começou quando o fotógrafo e também artista fez uma montagem de um rosto humano no Photoshop, usando sua foto e de mais dois colegas. A mistura deu origem a uma personagem, batizada de Aaron Brown.

Wallen quis provar as possibilidades da Deep Web e, usando o Thor, Bitcoins e outros métodos, conseguiu para Brown uma carteira de motorista, permissão para navegar, um cartão de plano de saúde e uma conta de TV a cabo (que serviu como comprovante de residência).

Não satisfeito, o usuário também criou um serviço para Twitter com o nome de Aaron, no qual qualquer um poderia postar um tweet; e um servidor proxy, o "Aaron Brown".

Para quem ainda tinha dúvidas da facilidade com a qual se pode obter identidade falsa hoje em dia, eis um exemplo que não demanda grandes esforços.

A experiência acabou se tornando um mini documentário, que dá mais detalhes da ideia. Confira abaixo:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.