Forrester: marcas deveriam deixar Facebook e Twitter de lado

Por Redação | 20 de Novembro de 2014 às 17h14
photo_camera NDTV

Cada vez mais pessoas estão utilizando algum tipo de rede social, em especial o Facebook e o Twitter. São bilhões de usuários ao redor do mundo, de modo que muitas companhias investem em relacionamento através dessas plataformas, em uma tentativa de criar uma via de comunicação em mão dupla com os seus clientes, além de esta ser uma forma de aumentar a presença da organização na internet.

Contudo, essa linha de trabalho não é unanimidade. Nesta semana, um estudo feito pela Forrester Research, intitulado “Social Relationship Strategies That Work”, está afirmando que investir no Facebook e no Twitter não oferece os resultados que prometem. Dessa maneira, caso a sua empresa esteja atuando em uma dessas duas plataformas (ou em ambas), a companhia afirma que você está desperdiçando esforços e, é claro, uma quantia significativa de dinheiro.

Um problema bastante óbvio

De acordo com as informações divulgadas pelo pessoal do site Marketing Land, Nate Elliot, vice-presidente da Forrester Research, afirmou que o problema é simples: as duas redes sociais contam com um alcance e um engajamento anêmico. No Facebook, por exemplo, as postagens de uma página conseguem atingir apenas 2% de seus fãs, sendo que a companhia de Mark Zuckerberg ainda ocupa boa parte da sua linha do tempo com postagens promocionais ou impulsionadas. O alcance orgânico do Twitter conta com o mesmo defeito.

Quando os números dizem respeito ao engajamento de fato, quando os usuários interagem e disseminam o conteúdo da sua página ou perfil, a situação é ainda mais decepcionante. Para o Facebook, essa taxa fica em 0,7% e para o Twitter em 0,3%. Ou seja, o retorno do trabalho é praticamente nulo, resultando no desperdício citado no começo desta notícia.

Ok, mas e qual é a solução?

Ainda segundo os estudos da Forrester Research, uma das soluções para continuar com uma forte presença na internet, mas desviando dos problemas de se investir em redes sociais falhas é apostar em recursos sociais dentro dos próprios sites da empresa. Você pode criar uma área para discussão, como um fórum, e manter as pessoas dentro da página da sua companhia, discutindo sobre os seus produtos e consumindo uma série de informações criadas pela sua equipe. O alcance vai ser certeiro e completamente orgânico.

Um exemplo dado é o da Sony PlayStation e seu microsite GreatnessAwaits. A página chegou a contar com 4,5 milhões de visitas mensais, ajudando a traçar o melhor plano para um lançamento de sucesso do PlayStation 4 – aparelho que, na época, foi melhor recebido do que o seu principal concorrente, o Xbox One.

Caso você não queira investir em trabalhos dessa maneira, há redes sociais alternativas que proporcionam um engajamento de marca mais sólido, como é o caso do Instagram e o Pinterest. A rede social para postagem de fotos conta com um nível de engajamento 58 vezes maior do que o Facebook e 120 vezes maior do que o Twitter. Com isso, há uma interação mais natural com o cliente, o que faz com que o nome da companhia rode cada vez mais dentro do mundo digital.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.