Fique ligado: o furacão Sandy pode afetar a sua internet

Por Redação | 29 de Outubro de 2012 às 12h18

O furacão Sandy está ameaçando a costa leste dos Estados Unidos e chegará forte, com chuvas e ventos tempestuosos. Além dos danos causados pelo vento e pelas águas, os furacões possuem um histórico conhecido de destruir boa parte da infraestrutura tecnológica que nos mantém conectados ao mundo.

Os datacenters são os mais afetados pelos furacões. Estes gigantes centros de dados hospedam centenas de computadores que sustentam sites grandes, como o Netflix, o Dropbox, a Amazon, a Apple, o Google… todos eles dependem destes complexos de dados. E todos nós dependemos, direta ou indiretamente, de serviços na nuvem oferecidos por algumas destas empresas. A Amazon, por exemplo, oferece um serviço de nuvem que é utilizado por, no mínimo, um por cento de toda a internet. E isso não é pouco.

Os servidores, em sua grande maioria, são instalados no estado da Virgínia - rota da tempestade de hoje. Várias vezes, fenômenos climáticos foram responsáveis por causar blackouts e derrubá-los, mas as empresas estão trabalhando pesado para reforçar e proteger estes locais antes da chegada do Sandy.

A equipe do Mashable gravou um vídeo que retrata muito bem o problema causado pelos furacões e mostra o que se deve esperar deles.

No vídeo, a apresentadora diz que o furacão Irene, de 2011, causou um dano de 19 bilhões de dólares, devastando boa parte da costa e causando blackouts, destruição de infraestrutura e perdas de energia na costa leste dos EUA.

Para o Sandy, as previsões não são das melhores. Serviços como a Amazon e o Google, que mantêm gigantescos datacenters no local, podem sofrer com as tempestades. Mas a boa notícia é que tais datacenters foram reforçados, mas não são indestrutíveis. Se o furacão derrubar os servidores, os datacenters serão obrigados a utilizar sistemas de backup para tentar manter seus serviços disponíveis para os internautas do mundo todo.

Você se lembra do datacenter do Google? Boa parte dele pode estar sujeita aos danos do Sandy nesta segunda-feira.

Para quem não se lembra, o furacão Irene devastou uma série de pontos de rede elétrica na costa leste dos EUA, deixando 7 milhões de pessoas no escuro. Para evitar danos como os provocados no ano passado pelo Irene, os governos de Maryland, Connecticut e Washington D.C. estão tomando providências cabíveis.

Pesquisadores da Universidade de Jonhs Hopkins estão produzindo computadores capazes de prever o impacto causado pelos fenômenos naturais. É provável que 10 milhões de pessoas sofram com o apagão durante e após a tempestade causada pelo Sandy.

E aqui no Brasil, nós podemos ser diretamente afetados pela queda dos servidores localizados nas áreas de maior risco dos Estados Unidos. O que você pretende fazer se, nesta segunda-feira, boa parte dos serviços que movem a internet resolver sair do ar? Conte para nós nos comentários.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.