FBI fecha Silk Road, maior site de venda de drogas, e seu fundador vai preso

Por Redação | 02 de Outubro de 2013 às 16h38

O Silk Road era o maior mercado online de vendas de drogas de vários tipos diferentes, onde os consumidores podiam pagar usando Bitcoin. Era, não é mais, já que o FBI fechou o domínio e desligou o site de vez.

O administrador do site, conhecido pelo nick "Dread Pirate Roberts", também foi preso em São Francisco, EUA. Ross Ulbricht, nome verdadeiro de "Dread Pirate", deve enfrentar processos por três acusações: tráfico de drogas, invasão de computadores e lavagem de dinheiro.

E não foi pouco dinheiro. O site conseguiu gerar cerca de US$ 1,2 bilhão em vendas, e US$ 80 milhões em comissões. Foram feitas 1.229.465 de transações no site, que movimentaram 9.519.664 de Bitcoins, o que equivale hoje a 1,2 bilhões de dólares.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

É claro que nada foi feito de uma maneira "limpa" e ética. Ulbritch, o "Terrível Pirata", chegou a contratar um assassino de aluguel para matar um usuário do Silk Road, que estava tentando extorquir dinheiro dele, e pagou em Bitcoins.

O site vinha sendo monitorado desde 2011, e agentes do FBI participaram da investigação fazendo mais de 100 compras individuais de substâncias de vendedores do Silk Road, incluindo ecstasy, cocaína, heroína, LSD e outras.

A grande questão é: por que demorou tanto para fecharem o site? Em pouco tempo, o Silk Road "inspirou" uma onda de clones em busca do mesmo sucesso comercial, como o Atlantis, que também foi fechado "por motivos de segurança".

Ao menos, o movimento do FBI mostra que mesmo sites que utilizam ferramentas como a Tor Network para navegação anônima e estão hospedados em servidores escondidos na deep web não estão livres da lei.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.