FBI compartilhou pornografia infantil para prender pedófilos

Por Redação | 06 de Agosto de 2013 às 14h50

Em novembro do ano passado, o FBI invadiu um site conhecido por abrigar conteúdo relacionado a pornografia infantil. Mas ao invés de desligá-lo, as autoridades decidiram mantê-lo funcionando para tentar identificar a maior quantidade possível de usuários que o visitavam.

O San Francisco Chronicle relatou que os agentes do departamento norte-americano de investigação executaram o serviço por duas semanas em uma tentativa de identificar mais de 5 mil internautas. Neste período, eles continuaram distribuindo pornografia infantil para não espantar os visitantes habituais.

O FBI alega que as investigações ainda estão em estágio inicial, mas que alguns computadores já foram apreendidos durante uma busca realizada em abril e agora estão sendo analisados. Por enquanto, ninguém está sendo processado por ter acessado o tal site.

Quando foi descoberto, o site tinha mais de 5.600 usuários e 24 mil mensagens, quase todas elas relacionadas à pornografia infantil. Pelo menos dez mil fotos de crianças posando nuas, sendo abusadas ou estupradas foram transmitidas por meio do site. Um juiz de Nebraska, nos Estados Unidos, foi responsável pela aprovação do pedido realizado por agentes policias para rastrear os usuários do site.

Enquanto a investigação continua em andamento, uma questão fica no ar: os fins justificam os meios? Afinal, a página continuou sendo alimentada por agentes do FBI, que tentavam atrair os pedófilos com mais conteúdo proibido para depois rastreá-los. Seria o mesmo que oferecer drogas para as pessoas para prendê-las em flagrante? De qualquer forma, o assunto ainda gera muita polêmica. Qual é a sua opinião?

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.