Estoque de endereços IPv4 acaba na América Latina

Por Redação | 11 de Junho de 2014 às 10h09

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), responsável pelo registro nacional de endereços IP para o Brasil, em conjunto com o Registro de Endereçamento da Internet para a América Latina e o Caribe (LACNIC), informaram nesta terça-feira (10) o fim do estoque de endereços IPv4 na região. Isso marca o início da fase de “terminação gradual” após duas décadas de uso dos endereços IPv4 no Brasil.

O fim dos estoques já era previsto e quando a região chegou próxima ao nível de esgotamento foi adotado um estoque único. Apesar disso, este não é o fim definitivo do IPv4. Organizações brasileiras ainda podem receber 1024 endereços IP a cada seis meses durante o período de terminação gradual, que conta com uma reserva de dois milhões de endereços.

Além disso, existe outra reserva de mais dois milhões de endereços IPv4 destinada apenas para novos solicitantes e com limitação de uma única alocação por solicitante de, no máximo, 2014 endereços.

A América Latina segue tendências já vistas com o fim dos estoques de IPv4 na Ásia e Europa, isso porque se trata de um recurso finito com quatro bilhões de endereços na versão 4. O crescimento da internet, com mais usuários e serviços, foi determinante para o fim precoce dos endereços disponíveis.

O NIC.br trabalha agora em estimular a adoção e treinar empresas e funcionários para o uso do protocolo IP versão 6, o IPv6. Nesta nova versão, o protocolo tem uma grande capacidade de endereçamento, que irá atender as necessidades da Internet por muitos anos. Como já era prevista a mudança, atualmente 68% das organizações no Brasil que fazem parte da Internet no modelo de Sistemas Autônomos já adotaram o IPv6.

O NIC.br destaca que já promove treinamentos sobre o IPv6 há mais de dez anos e, neste período, mais de quatro mil técnicos já receberam instrução.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.