Estado Islâmico cria "Facebook do Califado" depois de bloqueio na internet

Por Redação | 10 de Março de 2015 às 14h42

Como forma de contornar proibições e bloqueios frequentes enfrentados em redes sociais como o Facebook, partidários do Estado Islâmico decidiram lançar o "CaliphateBook" para militar através da internet. O site 5elafabook.com entrou no ar no último domingo (08), mas teve que ser desativado, assim como a sua conta no Twiiter. A página era bastante parecida com o Facebook, mas ainda aparentava inacabada.

De acordo com a Folha, a primeira página do site afirmava ter suspendido as operações de maneira temporária para proteger as informações dos seus membros e para prezar pela sua segurança. O Estado Islâmico se baseia nas redes sociais para espalhar mensagens, além de divulgar vitórias militares e as decapitações de prisioneiros. Por isso, as principais redes sociais estão removendo as publicações de assassinatos às pressas e os governos estão tomando medidas ainda mais rígidas quanto à restrição do uso da internet por esses militantes.

Ninguém sabe ainda quem foi o responsável pela criação do site, que tem o nome baseado em uma transliteração para o inglês da palavra califado, que em árabe significa "khelafa". Também não há informações sobre o número de membros o 5elafabook.com chegou a ter.

5elafabook

Na mensagem postada na página inicial, o site dizia ser independente e sem patrocínio do Estado Islâmico, mas afirmava que o grupo, "com a permissão de Deus", se expandiria para todo o mundo. Junto com o recado estava um mapa mundi desenhado em pontilhados e com a insígnia árabe do Estado Islâmico.

A fonte ainda afirma que alguns dados mostraram que o site foi construído através do software Socialkit, que permite que usuários criem as suas próprias redes sociais. Ele foi registado na empresa de internet "GoDaddy" no dia 3 de março e o endereço de IP indicava que a sede era na cidade de Mossul, no Iraque, que é controlada pelo Estado Islâmico. Mas o país de origem foi apontado como o Egito, com um número de telefone falso.

Foi realizado um debate entre partidários do Estado Islâmico em um outro fórum da internet, tratando de assuntos referentes à segurança de plataformas como o 5elafabook. Um usuário identificado como Taqni Minbar disse que "não existe um site seguro, mesmo que pertença diretamente ao Estado Islâmico, porque os servidores são controlados pelos governos, que podem recolher todos os endereços de IP das pessoas que visitaram o site".

Na mensagem, o 5elafabook.com relata o seu objetivo principal: "Esclarecer a todo o mundo o que nós não só carregamos armas e vivemos em cavernas como eles imaginam. Nós avançamos com o nosso mundo e nós queremos avançar para que se torne islâmico. Nós amamos morrer como vocês amam viver, e prometemos lutar até o último de nós", diz.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.