Documentos que vão reger o NetMundial são apresentados

Por Redação | 16.04.2014 às 15:30

O comitê que está organizando o NetMundial (Encontro Multissetorial Global sobre o Futuro da Governança na Internet) divulgou nesta terça-feira (15) o documento-base que servirá como pauta de discussão durante o evento. Baseado em 188 propostas oriundas de governos e do setor privado, o texto dará a tônica do encontro que vai acontecer em São Paulo entre os dias 23 e 24 de abril.

Mais de 900 representantes de 87 países já foram confirmados para o evento, que discutirá temas como privacidade, liberdade de expressão, globalização da rede e acesso universal à internet. A ideia é criar um conjunto de normas que possam rever a governança em toda a internet e a expectativa é que o documento seja referendado por todas as nações participantes.

Ao todo, são 188 propostas oriundas de 146 representantes e 46 países. Grandes empresas participaram da composição do documento, bem como organizações da sociedade civil e também órgãos governamentais, durante um período de consulta pública que perguntou a todos sobre como seria o futuro da governança na internet.

Segundo Virgilio Almeida, que é coordenador do Comitê Gestor da Internet no Brasil, todos os participantes possuem poder de voto igual. Falando ao Portal Brasil, ele explicou que, com isso, dificilmente será possível a união de grupos de países em prol de interesses comuns. A ideia é dar igualdade entre todos os presentes e fortalecer a ideia de criar uma proposta global, que caiba a todos.

Essa etapa aberta, agora, se estende também ao internauta comum, que pode acessar o documento na íntegra e comentar sobre seus mais diversos pontos. A oportunidade vai até o início do evento e os insights da sociedade também devem ser levados em conta durante a discussão.

Para quem está longe de São Paulo, hubs remotos serão montados pelo comitê em 23 países. Utilizando auditórios e salas de reunião empresariais, o NetMundial deve ser transmitido para 30 cidades, ampliando a discussão e abrangendo ainda mais interessados nas propostas de regulamentação.

Almeida também acredita que a forma de atuação do Brasil servirá como uma das grandes inspirações dos envolvidos. Além do CGI.br, o país encontra-se em meio aos trâmites de aprovação do Marco Civil da Internet que, inclusive, foi usado como base para as propostas criadas pelo governo brasileiro no NetMundial.