Dicas e truques para iniciar no mercado de vídeo digital independente

Por Natalie Rosa

Trabalhar com produção de vídeos está cada dia mais acessível devido às inúmeras ferramentas e plataformas que a tecnologia atual nos oferece. Mas mais do que uma ideia na cabeça, é preciso muita dedicação e estar disposto a nunca deixar de estudar para acompanhar as mudanças.

O professor de edição de vídeo, Bruno Baltarejo, deu algumas dicas para profissionais iniciantes neste mercado no evento Tudo Geek Show, que aconteceu em Curitiba no último fim de semana. Baltarejo abordou assuntos desde quais as melhores câmeras e ferramentas até as vantagens de tirar uma certificação da Adobe.

Palestra Bruno Baltarejo

Em entrevista ao Canaltech, o professor se aprofundou ainda mais em dicas essenciais para quem quer conhecer mais sobre a área, veja:

Conheça o mercado de trabalho

A profissão pode ser exercida em diversas áreas, como publicidade, vídeos para a web, televisão, cinema, comunicação institucional, entre outros. Para Bruno, mesmo se o profissional tiver uma meta em mente, como o cinema, por exemplo, ele deve estar disposto a entrar em um mercado mais "humilde" para depois chegar ao topo. O sucesso é conquistado com muita experiência e networking.

Quanto eu vou gastar?

Materiais de audiovisual costumam não ser baratos, mas dependendo de qual será a produção, o orçamento inicial não precisa ser muito grande. "Se pretende fazer comerciais para televisão vai ter que ter um bom investimento, desde câmeras, luz, staff, Ancine, etc. Porém, para fazer vídeos para o YouTube ou para cinema independente, você pode começar com a câmera do celular e talvez um microfone conectado nele, se tiver um bom conteúdo vai ter quem assista. Um bom roteiro e execução são mais importantes que um bom equipamento. O telespectador não vai reparar com qual câmera foi gravado, mas ele só vai assistir até o fim se o conteúdo for bom", comenta.

Baltarejo diz que um bom produtor de vídeos independente consegue trabalhar sozinho, mas sempre precisará de ajuda em algum momento, como alguém para segurar a câmera, por exemplo. "Tendo uma câmera e algum equipamento de captação de áudio você já está equipado, o resto será o seu olhar de fotógrafo, um bom roteiro, disposição, tempo, planejamento, e ir atrás! No YouTube tem muitos cases de sucesso de produções independentes com baixo orçamento", diz o professor.

Cursos e formação

Antes de começar um curso é importante que o profissional conheça um pouco de todas as áreas para saber de qual gosta mais. "Pesquise um pouco na internet, leia sobre agências, canais de TV, produtoras, cinema, veja algumas aulas online e quando encontrar qual área que combina mais contigo, siga-a". Bruno comenta também a importância de colocar esse conteúdo em prática ensinando alguém, pois é a melhor maneira de aprender. Ele ainda alerta para que o profissional não tente se envolver em várias áreas e se tornar mediano em todas. Escolha uma e torne-se experiente nisso.

O professor afirma que deve-se tomar cuidado na hora de escolher uma graduação ou cursos muito extensos ou caros. "Estude bastante, visite e fale com ex-alunos. Embora o empenho do aluno seja o mais importante, um curso ruim pode tomar o seu tempo e dinheiro", comenta.

Para quem mora em São Paulo ou Curitiba, Bruno recomenda os cursos da Aldeia Coworking (Curitiba), onde ele dá aulas. Lá existem cursos livres que vão desde a pré até a pós-produção. Ele indica também a escola de fotografia Omicron, também na capital paranaense. Em São Paulo, ele indica os cursos livres e o anual da Inspiratorion.

Qual deve ser a configuração do meu computador?

Para trabalhar com edição de vídeo é essencial que um computador tenha bastante espaço de armazenamento: no mínimo 750 GB somente para trabalho, além de espaço para backups. Ele também recomenda o uso de um HD SSD para o sistema operacional que tenha pelo menos 128 GB. Esse HD vai ajudar a agilizar o tempo para ligar e desligar o sistema operacional e os softwares, e na criação de arquivos temporários.

O processador do computador ou notebook precisa ter velocidade mínima de 2.0 GHZ e uma GPU mais completa, como as da linha GTX e Quadro da NVIDIA, com no mínimo 1 GB de Vram e 500 CUDAS. A dica de Bruno é que não se economize na GPU, que é o mais importante para a edição de vídeo.

Se o foco do profissional for After Effects, o professor recomenda uma memória RAM de no mínimo 8 GB e um processador mais rápido, pois todo o sistema de render necessita principalmente do CPU. "Se gostar de finalização de cor escolha um monitor IPS, com boa gama e fidelidade de cores. Não use monitores de TV, opte por um modelo mais profissional. Um bom exemplo é a linha Ultrasharp da DELL", indica.

O uso de uma boa mesa digitalizadora também é essencial. Bruno recomenda a mesa da Wacom. "Ela vai ser muito útil na produção de layout no Photoshop e no Illustrator até a finalizacão e pós-produção no After Effects e DaVinci".

Como criar um bom portfólio

Editores e produtores de vídeo contam com diversas plataformas para serem exploradas na hora de montar um bom portfólio. Bruno indica o uso das que tenham mais em comum com a área de atuação: para a produção de conteúdo audiovisual, o melhor é o Vimeo, para design, o Behance, e para produção fotográfica, Flickr ou Instagram. Além desses sites, o uso do LinkedIn é essencial.

"Se você ainda não está trabalhando na área, aproveite as oportunidades de produção de material no curso ou faculdade que esteja fazendo, ou produza material independente que tenha relação com a área que está afim de trabalhar. Faça com tempo e capricho, e mesmo que tenha baixo orçamento, não deixe mal feito. Este é o material que vai vender o seu trabalho", complementa.

Equipamentos

Na hora de escolher qual câmera e acessórios usar nas produções, é necessário verificar qual a sua necessidade. Bruno comenta que para vídeos do YouTube, uma boa câmera de celular já é suficiente, e para vídeos de esportes, uma GoPro faz bem o serviço. Mas quem pretende investir em criações para cinema ou televisão, por exemplo, precisa de câmeras que ofereçam uma melhor resolução, muitas vezes que filmem em 4K e com bom aproveitamento das lentes.

Certificado Adobe

A partir do momento em que o profissional obtém um certificado Adobe, ele está na lista da própria companhia como um professor e especialista dos softwares. Com ele, a credibilidade do trabalho é maior, assim como as chances de obter os melhores trabalhos possíveis. "Você também terá desconto em softwares, alguns virão até de graça, como o Captivate. Terá acesso aos livros da editora Adobe de graça, além de matérias para divulgação e ministração de aulas, se for professor. E poderá dar aulas em centros autorizados Adobe", finaliza.