Criadora do 'Diário de Classe' sofre ameaças e Ministério Público assume o caso

Por Joyce Macedo | 08 de Novembro de 2012 às 16h46

A jovem Isadora Faber, de apenas 13 anos, ficou conhecida em todo o Brasil após criar uma página no Facebook, chamada Diário de Classe, para mostrar os problemas enfrentados na escola onde estuda.

Apesar de receber muito apoio - e 390 mil curtidas no Diário de Classe - dos internautas que admiram sua atitude e suas denúncias, a jovem tem enfrentado muitos problemas, principalmente após o fato tomar uma proporção muito maior do que ela esperava.

Isadora vem recebendo diversas ameaças que ultrapassam o mundo virtual. Na última terça-feira (06), ela postou em sua página um texto dizendo que sua casa havia sido apedrejada, e que, inclusive, sua avó de 65 anos havia sido machucada durante o ataque.

No mesmo dia a garota contou que ela e seu pai sofreram ameaças de alguns alunos da escola, junto com seus responsáveis. Mas nada disso fez com que ela se calasse: a página continua sendo atualizada diariamente com fotos e textos a respeito do estado do prédio que abriga a escola.

A família informou à revista Veja que os dois episódios citados acima já foram registrados em duas delegacias da cidade. Agora, o Ministério Público de Santa Catarina vai assumir a investigação do caso, que deve começar ainda hoje (08).

Após ouvir todos os envolvidos no caso das ameaças, o Ministério Público vai definir se existe a necessidade ou não de determinar medidas de proteção para a estudante. O MP também afirmou que as denúncias feitas diretamente para o órgão não partiram dos pais de Isadora, mas sim de uma pessoa cuja identidade não foi revelada.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.