Caso PRISM: Steve Wozniak diz que Edward Snowden é um herói

Por Redação | 27 de Junho de 2013 às 13h54

O cofundador da Apple, Steve Wozniak, não está muito feliz em ver a tecnologia que ajudou a desenvolver há décadas sendo utilizada em larga escala para invadir a privacidade das pessoas. E, para o executivo, Edward Snowden é um herói.

"Ele é um herói, de acordo com as minhas crenças sobre como a Constituição deve fucionar. Eu não acho que a NSA (Agência de Segurança Nacional) fez uma coisa valiosa para nós, no que diz respeito ao PRISM", declarou Woz ao The Daily Beast.

Ele ainda disse que entende o terrorismo como um crime e não como uma guerra, e que Snowden está seguindo seu coração, afinal ele "está desistindo de toda a sua vida" para contar ao mundo o quanto se sentia mal com a espionagem norte-americana.

Quando Wozniak e Jobs fundaram a Apple em 1976, a Internet ainda estava engatinhando e era algo desconhecido para o público em geral, não algo relacionado ao seu cotidiano. Mas hoje, ele admite que a web apresenta uma séria ameaça à privacidade pessoal da população.

"Toda vez que você cria uma conta, só porque você quer comprar alguma coisa, você tem que clicar em 'OK' e em 'eu concordo com isso'. Quem tem tempo para ler todos os termos legais e quem tem a habilidade de compreendê-los?", disse. O executivo também confessa que "nós não temos muita escolha agora", se referindo à quantidade de dados que temos armazenados na nuvem, por exemplo.

Durante a entrevista, ele sugeriu ainda que as duas gigantes da tecnologia, Microsoft e Apple, falharam ao não incluir um software de criptografia em seus produtos. "Se as duas empresas, Microsoft e Apple, tivessem construído [seus programas] em criptografia PGP (Pretty Good Privacy), cada e-mail seria criptografado e indecifrável".

Caso PRISM

Enquanto de um lado Edward Snowden recebe o apoio moral de um gênio da tecnologia, por outro sua situação não está nada fácil. Na manhã desta quinta-feira (27), o ministro das Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño, avisou a imprensa de Cingapura que ainda hoje faria um anúncio relacionado à situação do ex-funcionário da agência de espionagem dos Estados Unidos.

O responsável pela divulgação de documentos secretos que revelaram ao mundo o esquema de espionagem PRISM praticado pelas agências de inteligência dos Estados Unidos deixou Hong Kong no último domingo (23) e seguiu para Moscou, Rússia. A ideia era que Snowden embarcasse para Cuba na segunda-feira seguinte, porém isso não aconteceu. Autoridades da Rússia disseram que ele permanece na área de trânsito do aeroporto de Moscou. Possivelmente, ele aguarda a resposta de seu pedido de asilo feito ao Equador para decidir seu destino.

Saiba mais: Jornalista afirma que ainda há mais informações a serem reveladas

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.