Brasileiros já passam cinco horas conectados à internet todos os dias

Por Redação | 17.03.2015 às 07:40 - atualizado em 17.03.2015 às 18:07

Não é novidade que o brasileiro está cada vez mais conectado à internet, seja por e-mail, sites de relacionamento, redes sociais ou outras páginas no mundo digital. E a expectativa é que a tendência de passar muito mais tempo online não acabe tão cedo. Essa é uma das conclusões da Pesquisa Brasileira de Mídia (PMB) 2015, que constatou que quase 50% dos usuários locais passam pelo menos cinco horas por dia na web.

Segundo o levantamento, quase metade de toda a população brasileia tem acesso à internet - grande parte dessa expansão acontece devido ao uso frequente dos dispositivos móveis, como tablets e celulares. Hoje, 66% dos internautas se conectam pelos smartphones, contra 40% do ano passado. Além disso, 76% dos usuários se conectam todos os dias, aumento significativo em relação aos 56,5% da pesquisa realizada em 2013.

A rede também se destaca como meio de comunicação utilizado por mais tempo. Cada brasileiro passa em média cinco horas por dia na internet durante a semana, cerca de uma hora a mais do que no ano anterior. Aqui, outro dado interessante: o período já é superior ao resultado da televisão, de quatro horas e meia diárias, indicando que o brasileiro tem optado por ficar navegando na web do que assistindo TV.

“Neste cenário fica clara a importância da presença virtual para o sucesso das empresas”, conta Gabriel Motta, sócio da Ingage, agência especializada em marketing digital e responsável pela divulgação do estudo.

De acordo com Motta, as vantagens do trabalho desenvolvido na web podem ser vistos como “garantia de uma maior taxa de conversão de leads em vendas, assim como elevado retorno financeiro sobre o investimento”. Isso significa que as companhias podem focar investimentos específicos em diferentes conteúdos online e ver os frutos desses negócios em cada plataforma. Além disso, Motta destaca que o custo é mais acessível para as pequenas e médias empresas, muito diferente da média cobrada em televisões, rádios e mídias impressas. “O cliente também consegue ver diretamente o resultado da ação dele, o que inspira mais confiança”, afirma Motta.

Dados como idade de usuários, localização, escolaridade e condições socioeconômicas, entre outros, também ajudam a segmentar o público-alvo das empresas e otimizar a atuação do marketing digital. Um exemplo: quando se leva em consideração apenas os brasileiros com ensino superior completo, a porcentagem de conexão sobe para 72%. As razões principais para entrar na internet são “Entretenimento” e “Informação”, cada uma com 67% das intenções de uso.

O infográfico completo do relatório pode ser acessado neste link.