'Brasil ainda não está preparado para a Black Friday', afirma Reclame Aqui

Por Caio Carvalho | 02 de Dezembro de 2013 às 16h13
photo_camera Divulgação

O site Reclame Aqui divulgou nesta segunda-feira (2) o balanço final da Black Friday Brasil 2013, realizada na última sexta-feira (29). Em pesquisa realizada com consumidores que fizeram compras durante o evento, a empresa afirma que o e-commerce brasileiro ainda não está 100% preparado para receber tantos pedidos em um curto período de tempo.

De acordo com o relatório, foram totalizadas 8.500 reclamações contras as lojas que participaram da campanha – um aumento de 6,2% em relação ao ano passado, que registrou 8.000 queixas dos clientes. A principal reclamação foi nos problemas para acessar os sites de compra online: 79,83% dos entrevistados disseram ter entrentado instabilidade ou inacessibilidade na hora de entrar na página das varejistas.

Outro motivo que não agradou os usuários foi a falta de estoque dos produtos anunciados – 62,99% dos consumidores que tentaram efetuar compras se mostraram insatisfeitos com a quantidade limitada dos itens desejados. A pesquisa ainda revelou que 26% das pessoas pretendem participar da Black Friday em 2014, contra 28% dos que não vão participar. Cerca de 45% ainda não decidiram se farão parte da edição do ano que vem.

"A Black Friday deste ano nos revelou que o e-commerce brasileiro está carente de infra-estrutura, clareza na formatação das ofertas, mas teve uma pequena melhoria no quesito atendimento", disse Maurício Vargas, presidente do Reclame Aqui. Das 8.500 reclamações registradas nas 24 horas do evento, 4.000 foram queixas formais, enquanto as outras 4.500 foram através do RA Chat, uma ferramenta gratuita de bate-papo oferecida pelo Reclame Aqui para as empresas participantes. No programa, as companhias podem orientar os clientes antes que eles formalizem uma queixa no site de reclamação.

Ranking

A Black Friday Brasil 2013 terminou às 23h59 do dia 29 de novembro. Ainda segundo o Reclame Aqui, a edição brasileira não conseguiu apagar totalmente a imagem de "Black Fraude" de 2012. À meia-noite do sábado (30), a lista das cinco empresas com o maior número de reclamações foi a seguinte: Extra (530 queixas), Submarino (426), Ponto Frio (363), Americanas.com (262) e Casas Bahia (166). O ranking continua contando as reclamações até agora na página do evento.

As promoções do tipo "metade do dobro" continuam no topo das queixas mais relatadas pelos consumidores. Esses falsos descontos indicam que um produto teve seu preço elevado dias antes da Black Friday e reduzidos falsamente em até 70%. Também houve um apagão em vários sites durante as duas primeiras horas da Black Friday devido ao volume de acessos – algumas páginas travaram ou até saíram do ar. Após esse período, houve registros de problemas técnicos, mas menos graves.

Faturamento

Apesar do alto número de reclamações, a Black Friday Brasil 2013 cresceu 217% em relação ao ano passado e movimentou R$ 770 milhões, segundo levantamento da empresa e-bit, especializada em informações do comércio eletrônico.

Nas primeiras 12 horas de evento, mais de R$ 174 milhões já haviam sido movimentados pelas lojas cadastradas na campanha. Até às 17h do dia 29 de novembro, esse número subiu para mais de R$ 390 milhões – 60% superior ao registrado no mesmo período de 2012, ultrapassando a previsão de R$ 243 milhões feita pela ClearSale. Quase 2 milhões de pedidos foram registrados pelas varejistas, número cinco vezes maior do que um dia comum de compras nos mesmos sites.

Os smartphones dominaram as vendas da Black Friday Brasil deste ano, seguidos pelos eletrodomésticos, moda e acessórios, informática e eletrônicos. A média de valor gasto nas compras do evento ficou em R$ 396 por transação.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.