Bit.ly fecha serviço de encurtamento de links em massa

Por Redação | 01.04.2015 às 09:53

Uma ferramenta bastante útil, mas que por qualquer motivo acabou não caindo nas graças do público. O serviço Bit.ly anunciou nesta terça-feira (31) o fechamento do Bundles, funcionalidade que permitia o compartilhamento de diversos links a partir de uma única URL, dispensando o trabalho de encurtar um a um os sites que o usuário desejava enviar para as pessoas.

Segundo a empresa, o principal motivo para a decisão foi a falta de interesse dos usuários – você provavelmente nunca ouviu falar do Bundles e é uma prova viva disso, já que a funcionalidade também não era bem divulgada. De acordo com o Bit.ly, menos de 2% das URLs encurtadas pelo serviço vêm do sistema de links em massa e elas geravam ainda menos pageviews para os sites compartilhados.

Se a companhia já não vinha gostando muito dos resultados, a ocorrência de abusos foi a gota d’água para a decisão. Segundo os porta-vozes da Bit.ly, a baixa popularidade do Bundles acabou tornando-o uma ferramenta favorita dos spammers, que espalhavam links de propaganda e softwares maliciosos em meio a URLs legítimas, para usuários que confundiam a presença do endereço conhecido com uma falsa noção de que, por trás dos cliques, estariam apenas informações seguras.

A partir do dia 7 de abril, após quatro anos em funcionamento, a plataforma deixa de ser capaz de criar os Bundles, enquanto todos os que existem continuarão funcionando até 7 de maio. É nesta data que a plataforma deixa definitivamente de existir da forma que a conhecemos. Segundo o Bit.ly, no mesmo dia 07 de abril uma nova funcionalidade, chamada simplesmente de “tags”, será lançada e carregará consigo boa parte da identidade do sistema que está sendo desativado agora.

O Bit.ly, porém, não detalhou exatamente o que estará presente na novidade. A ideia por trás dela, ao que tudo indica, é dar mais ferramentas para campanhas de marketing em massa legítimas e menos poder para os spammers. Talvez a companhia esteja falando de algum tipo de sistema de moderação ou conteúdo colaborativo, mas a verdade só saberemos em abril.

É uma iniciativa que fortalece um dos principais objetivos da companhia no momento, o de ser vista mais como uma ferramenta profissional e menos como um simples serviço para dar mais espaço para que usuários escrevam seus tweets. Recentemente, por exemplo, foi liberada uma função de deep linking, que permite a empresas do setor mobile criarem ligações com conteúdos, seções ou outros elementos dentro de seus aplicativos, abertos automaticamente quando o usuário realiza o clique.

Até hoje, são mais de 21 bilhões de links encurtados pelo Bit.ly e a companhia deseja aproveitar seu caráter de encurtador de URLs mais popular do mundo para melhorar sua posição em termos de negócios. É nisso que se baseia o fechamento do Bundles, no final das contas, e também os esforços que se seguirão daqui em diante. A ferramenta já funciona e para os responsáveis por ela este é o momento de expandi-la.

Fontes: Bit.ly, Venture Beat