AT&T pede registro de patente que pode ameaçar neutralidade da rede

Por Redação | 04 de Fevereiro de 2014 às 15h14

A operadora norte-americana AT&T entrou com um pedido de patente para um sistema de gerenciamento de tráfego de dados que pode ameaçar o princípio da neutralidade da rede, reporta o site Torrent Freak. A entrada do pedido de patente foi dada pela AT&T Mobility em setembro de ano passado, e publicada neste mês.

De acordo com a publicação, o novo sistema em desenvolvimento pela gigante da telecom permitirá que ela controle não só a quantidade de acessos do usuário, conforme seu pacote de dados, mas também cobre taxas diferentes de acordo com o tipo de navegação.

Atualmente, é comum que operadoras vendam pacotes de dados de diferentes tamanhos para seus clientes, que são utilizados conforme a pessoa quiser. Se alguém utiliza sua navegação para apenas e-mails ou redes sociais, provavelmente seus dados vão durar bem mais do que os de alguém que assista a vídeos ou realize downloads pesados através da rede móvel. Ainda assim, a cobrança dos pacotes é feita de maneira igual para todos, o que muda é apenas a maneira com a qual o usuário deseja utilizar seus dados.

O plano da AT&T é justamente diferenciar esses tipos de acesso e aplicar taxas maiores aos usuários que resolverem utilizar seus pacotes em conteúdos que consomem mais banda, chamados pela operadoras de conteúdo "não-autorizado".

De acordo com a telecom, o objetivo do novo sistema é evitar que consumidores "abusem de um sistema de telecomunicações" através do uso de muita banda. "Quando um usuário se comunica através de um canal, o tipo de comunicação é verificada para determinar se utiliza uma quantidade excessiva de largura de banda", atesta a patente.

O sistema deve funcionar por "créditos", que serão atribuídos ao assinante e subtraídos conforme o tráfego é monitorado. A nevegação considerada "não-autorizada" deverá reduzir esses créditos do cliente, enquanto a navegação "autorizada", não. Entre os itens que devem entrar na categoria não-autorizada podem estar o compartilhamento de arquivos ou download de filmes.

Conforme os créditos se aproximem do zero, o consumidor poderá pagar uma taxa maior ou sofrer sanções na sua capacidade de navegação, como o bloqueio de download de filmes.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.