4G cresce cinco vezes no Brasil em 2014; acessos chegam a 6 milhões

Por Redação | 02 de Fevereiro de 2015 às 11h06

Depois de recalcular os dados dos serviços 4G, a Anatel informou na última sexta-feira (30), que o Brasil fechou 2014 com 6,76 milhões de acessos móveis 4G LTE, o que representa um crescimento de 416,55% em relação a dezembro de 2013, quando havia 1,31 milhão de linhas ativas de 4G.

Somente entre novembro e dezembro houve crescimento de quase 1 milhão de acessos nessa tecnologia, o que representou um aumento de 17,03%. É interessante notar, no entanto, que os dois maiores players do mercado 4G, Vivo e TIM, somados, detêm mais de dois terços (69,16%) de toda a base.

A primeira colocada teve um crescimento de 21,55% nas suas linhas 4G, atingindo a marca de 2,629 milhões de acessos. Já a TIM totalizou 2,049 milhões, subindo 15,28%. A Claro vem em seguida, com 1,348 milhão de acessos e crescimento de 12,65%. A Oi possui uma base bem menor, sendo a única entre as 4 grandes operadoras e ter menos de 1 milhão de linhas, ficando com 541,8 mil. A Nextel possui 196,1 mil usuários em sua rede exclusiva do Rio de Janeiro operando na faixa de 1,8 GHz e seus acessos aumentaram 43,20%.

Demais tecnologias

Somando os acessos de todas as tecnologias, a Anatel informou que o Brasil encerrou o exercício de 2014 com 280,73 milhões de linhas ativas na telefonia móvel - um crescimento de 3,55% em relação a dezembro de 2013 - e teledensidade de 137,96 acessos por 100 habitantes. No décimo segundo mês de 2014, os acessos pré-pagos totalizavam 212,93 milhões (75,85% do total) e os pós-pagos 67,80 milhões (24,15%).

Os números da Anatel mostram ainda que, enfim, o 3G superou, de fato, o GSM no país, e agora responde por 51,53% das linhas ativas. Em janeiro de 2014, o 3G somava 35,92%. O GSM terminou 2014 com 40,25%. Em janeiro passado, a tecnologia 2G somava 57,85%. O 4G ainda fica com 3,06%.

No ranking nacional, a Vivo fechou o ano na primeira posição, com 28,47%, seguida pela TIM, que ficou com 26,97% do mercado. A Claro aparece na terceira posição com 25,33% e a Oi vem na quarta posição, sendo responsável por 18,14% das linhas. O interessante é que todas as 4 maiores apresentaram queda em relação ao mesmo período do ano passado e a Nextel cresceu de 0,38 para 0,54%.

Os números para este ano animam e a IDC Brasil projeta que, ao fim de 2015, o país atinja 11 milhões de linhas 4G ativas, o que significaria um crescimento aproximado de 800% nas adesões ao longo do período.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!