1 bilhão de pessoas já têm acesso ao Internet.org, diz Mark Zuckerberg

Por Redação | 15.05.2015 às 09:30

Poucos dias depois de ter sido lançado em Bangladesh, o projeto Internet.org do Facebook já chegou à Malawi, elevando assim o número de pessoas que têm acesso aos seus "100 serviços básicos gratuitos" para 1 bilhão. O número foi fornecido pelo CEO da rede social, Mark Zuckerberg, que também afirmou que seu projeto já fez com que 9 milhões de pessoas usassem a internet pela primeira vez.

As operadoras TNM e Airtel Malawi ajudam o Facebook a oferecer o serviço no país da África Oriental, juntando-se, assim, a outros dez países onde o Internet.org está disponível. São eles: Guatemala, Colômbia, Gana, Tanzânia, Quênia, Indonésia, Filipinas, Bangladesh, Índia (seu maior mercado) e Zâmbia, onde foi lançado pela primeira vez em meados de 2014.

Na semana passada, a rede social disponibilizou o Internet.org para desenvolvedores criarem serviços que se integrem ao projeto, que visa oferecer internet gratuita para quem precisa.

O movimento de tornar o Internet.org mais transparente e inclusivo surgiu após o Facebook receber diversas críticas de empresas indianas que acusavam a empresa de violar os princípios de neutralidade da rede. Na ocasião, diversas companhias retiraram seu apoio ao projeto.

Esta semana, o diretor do Internet.org anunciou que o programa será ampliado em parceria com operadoras de telefonia no Brasil. Há cerca de um mês, a presidente Dilma Rousseff anunciou uma parceria ao lado de Mark Zuckerberg, fundador da rede social, para outra vertente do Internet.org, a de conectividade para áreas remotas. Para conseguir levar a internet para lugares isolados, como comunidades que vivem na Amazônia, a empresa norte-americana está testando o uso de drones e de outras tecnologias.