Pesquisa da Mozilla revela comportamentos e opiniões sobre o mundo conectado

Por Redação | 09 de Novembro de 2017 às 19h50
TUDO SOBRE

Mozilla

A Mozilla, desenvolvedora do navegador Firefox, iniciou uma pesquisa global em agosto com o tema "O quanto você está conectado?", para descobrir opiniões e comportamentos das pessoas quanto ao mundo conectado em que vivemos atualmente.

Você pode acessar o estudo completo aqui, mas seguem, abaixo, dez destaques entre os resultados:

Todo mundo adora uma pesquisa

Um total de 189.770 pessoas acabou respondendo à pesquisa, que foi feita online. Enquanto a maioria das respostas veio de internautas franceses (18%), outros países se destacaram no que diz respeito ao número de respostas, como Itália (15%), Alemanha (13%), Estados Unidos (11%) e Brasil (7%).

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Notebooks versus Smartphones

Enquanto há aquelas pessoas altamente conectadas, que acessam a rede tanto por meio de seus notebooks quanto usando smartphones, a pesquisa revelou que há uma divisão real entre os dois dispositivos. Nos EUA, Canadá e Reino Unido, a maioria dos usuários informou que usa um notebook em vez de um smartphone para acessar a internet, ao passo em que nos países fora do Reino Unido e América do Norte (incluindo Brasil, Índia, Argentina, México, Itália e Espanha), a maioria das pessoas disse que usa smartphone, mas não um notebook.

Gostos variados

Os produtos conectados são uma tendência, incluindo televisores, veículos e equipamentos eletrônicos diversos. Mas o gosto por eles é bastante variado de acordo com o país de origem. Por exemplo, na Argentina, Brasil e México, há a taxa mais elevada de Smart TVs (50%, sendo que a média mundial é de 40%). Já os EUA são os campeões no uso de rastreadores de exercícios (20%), carros inteligentes (15%) e termostatos conectados (8%), mas as populações da Índia e do Brasil são as que possuem a maioria de aparelhos inteligentes conectados, com 15%, sendo que a média mundial é de 7%.

Medo e otimismo andam juntos quanto ao futuro conectado

Enquanto as pessoas que se consideram tecnicamente mais experientes estão mais otimistas com relação ao futuro conectado, aqueles que se sentem menos familiarizados com as novas tecnologias tendem a ficar apavorados quanto a esse futuro próximo. Na Índia existe um maior número de otimistas, com 25% dizendo estar "super animados", enquanto a média mundial é de 7%. Já a população da Bélgica, França, Reino Unido, Suíça e Estados Unidos se mostrou mais cautelosa, com medo sobre as consequências de tanta conectividade.

Perda de privacidade dá medo

45% dos entrevistados declarou que perder a privacidade como consequência de um mundo conectado é sua maior preocupação. Essa foi a principal resposta de praticamente todos os países, com exceção da Itália, que se mostrou mais preocupada com a perda de contato real entre as pessoas.

Quem fica responsável pela segurança?

Um terço do total de entrevistados acredita que são as fabricantes de produtos conectados que precisam se responsabilizar pela segurança dos dispositivos, enquanto outro terço entende que cabe às pessoas garantirem sua segurança. O restante se mostrou dividido entre responsabilizar os governos por isso, ou simplesmente não saber quem deve ficar a cargo dessa delicada questão.

Difícil saber em quem confiar

As pessoas ainda estão confusas para saber em quem confiar no que diz respeito à sua segurança virtual. Enquanto aquelas que se julgam tecnicamente mais experientes preferem confiar em organizações sem fins lucrativos, muitas outras simplesmente não sabem exatamente quem é realmente confiável para garantir sua segurança enquanto estiverem conectados. Ainda, quase nenhum entrevistado respondeu confiar na mídia ou no governo para tal.

Há pouco entusiasmo quanto ao mundo conectado

Quando questionadas sobre "o que lhe deixa mais animado enquanto caminhamos para um futuro digitalmente conectado?", a maioria das respostas foi "nenhuma das opções anteriores". Isso mostra que as pessoas ainda estão pouco entusiasmadas quanto ao mundo conectado, e as pessoas do Canadá, França, Reino Unido e Estados Unidos responderam que vêem menos benefícios nessa conectividade global. Já os brasileiros se destacaram como o povo mais entusiasmado quanto a esse futuro, ansiosos para ver como a vida ficará mais fácil graças à tecnologia.

Preocupações fortes com privacidade e segurança

Além de não saberem em quem confiar no que diz respeito à garantia de sua segurança online, as pessoas do mundo todo apontaram a privacidade e a segurança como questões essenciais na hora de decidir comprar dispositivo conectado. As pessoas, em geral, preferem comprar aparelhos recomendados por amigos ou familiares, mas também avaliam quesitos como preço, recursos e confiabilidade.

Falando "grego"

Já no que diz respeito aos termos tecnológicos que, cada vez mais, estão em pauta, menos de 30% dos entrevistados disseram que seriam capazes de explicar temas como Internet das Coisas, Botnet e Blockchain, por exemplo, enquanto menos de 40% disse entender de ataques DDoS ou sobre o Tor. Já VPN e dispositivos conectados foram assuntos apontados por mais da metade dos entrevistados como assuntos que eles dominam o suficiente para explicá-los.

Fonte: Mozilla

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.