Tom Gruber, um dos criadores da Siri, deixa a Apple

Por Felipe Demartini | 19 de Julho de 2018 às 11h01
Reprodução
Tudo sobre

Apple

A Apple perdeu nesta semana o último dos criadores originais de sua assistente de voz, a Siri. De acordo com relatos publicados na imprensa americana, Tom Gruber está deixando a companhia para cuidar de projetos pessoais relacionados à fotografia e conservação dos mares, após quase oito anos como uma das peças centrais do time de desenvolvimento da tecnologia.

Gruber fundou, em 2007, a Siri Inc ao lado de Adam Cheyer e Dag Kittlaus. A companhia não demorou para apresentar um projeto de assistente de voz que se provou promissor, recebendo investimentos de mais de US$ 25 milhões antes de ser adquirida pela Apple, em 2010, e aparecer em todos os aparelhos mobile da companhia a partir de 2011, no iPhone 4s. De lá para cá, a assistente se tornou parte integrante do sistema operacional móvel da Maçã.

Com a saída de Gruber, nenhum dos fundadores originais permanece na estrutura da empresa. Kittlaus e Cheyer deixaram a Apple em 2012 e fundaram a Viv Labs. Em 2016, a companhia foi adquirida pela Samsung e a dupla hoje faz parte do time de desenvolvimento da Bixby, a assistente de voz presente nos aparelhos de topo de linha da marca.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Tom Gruber, um dos criadores da Siri, durante um TED Talk sobre inteligência artificial (Imagem: Divulgação/TED)

Enquanto isso, o Time de Desenvolvimento Avançado da Siri, que era liderado por Gruber, deixa de existir para fazer parte de um ecossistema maior, que envolve todos os esforços de machine learning e inteligência artificial da Apple. Esse setor passa a ser dirigido por John Giannandrea, antigo diretor de IA da Google, e que agora assume cargo semelhante na rival.

Desde a saída de Kittlaus e Cheyer, entretanto, muito se falava sobre uma possível reorganização na estrutura interna da Apple, de forma a unir a Siri a outros esforços de inteligência artificial da empresa. A mudança demorou, mas parece ter chegado, apesar de a companhia não falar especificamente sobre o assunto, mesmo quando questionada diretamente.

Realinhamento de estratégia

Esta, porém, não é a única saída desta semana. Em uma nota que parece não exatamente relacionada, o diretor de pesquisas da companhia, Vipul Ved Prakash, também está deixando a Apple, onde trabalhava desde 2013. Ele entrou para a companhia com a aquisição da Topsy, desenvolvedora de mecanismos de pesquisa que foram integrados a aparelhos da Maçã para unir resultados de ferramentas convencionais aos de redes sociais e serviços de mídia.

Entretanto, boatos antigos apontam que essa dança das cadeiras tem a ver com uma reorganização não apenas executiva e gerencial, mas também de interesses e objetivos. Desde 2012 tem se falado sobre conflitos internos e discordâncias entre os diferentes diretores de setores relacionados à Siri e aos esforços de inteligência artificial, pesquisa e engajamento da Apple. Com a união sob um único guarda-chuva, a ideia é que a companhia de Cupertino estaria tentando alinhar sua estratégia e resolver tais pendengas.

Vale a pena citar, ainda, que o novo líder desse projeto, Giannandrea, é um dos grandes nomes quando o assunto é o entendimento natural de linguagem por sistemas automatizados, justamente uma das grandes falhas da Siri, que ainda mostra bastante dificuldade em entender o que os usuários estão querendo dizer. Novidades nesse sentido, então, não devem demorar a aparecer. Pelo menos é nisso que apostam os envolvidos no assunto, que revelaram as mudanças em condição de anonimato.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.