IA que diagnostica parada cardíaca fora de hospitais será testada na Europa

Por Ares Saturno | 02 de Maio de 2018 às 09h17

Uma startup dinamarquesa chamada Corti desenvolveu uma inteligência artificial para reconhecer e diagnosticar casos de paradas cardíacas. Testado em Copenhague, Dinamarca, a tecnologia terá seus testes expandidos para mais cidades europeias a partir de junho, quando inicia o verão no hemisfério norte.

Ao analisar ligações para os serviços de emergência, usando dados como o tom de voz do interlocutor e sua frequência respiratória, algoritmos analisam a situação do paciente e o orienta sobre a decisão de chamar uma ambulância ou mesmo de instruir alguém que esteja atendendo o caso a iniciar manobras de reanimação cardiopulmonar.

Diagnóstico precoce

Em casos de parada cardíaca, a detecção precoce é de extrema importância para as chances de sobrevivência do paciente, que caem 7% a cada minuto passado sem o devido tratamento. O software desenvolvido pela Corti obteve sucesso em sua rodada inicial de testes: das mais de 160 mil chamadas de emergência que a inteligência artificial teve acesso, ela foi capaz de identificar paradas cardíacas com 93,1% de precisão. A taxa de sucesso de humanos no diagnóstico desse tipo de falha do coração é de 72,9%.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Além da flagrante melhoria da capacidade de diagnóstico, a IA também é mais rápida que os humanos: enquanto nós fomos capazes de identificar uma parada cardíaca em um minuto e dezenove segundos, a IA fez o mesmo em apenas 48 segundos.

Falha humana

Alguns críticos se preocupam com a capacidade do software de tomar boas decisões quando analisa casos que envolvem situações desconhecidas, ou mesmo informações erroneamente coletadas pelos humanos responsáveis pelo atendimento. Sobre essas críticas, a Corti explica que a IA foi desenvolvida para nunca tomar decisões autônomas, limitando-se a agir como um guia para apoiar as decisões tomadas por profissionais habilitados para definir o que cada paciente precisa.

Fonte: Interesting Engineering

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.