Projeto quer tornar comunicação via satélite mais acessível e barata

Por Felipe Demartini | 04 de Agosto de 2020 às 19h45
Reprodução/Wired

Um projeto desenvolvido em parceria com a Força Aérea americana e o Pantágono tem como intuito popularizar e facilitar o uso da comunicação via satélite. O NyanSat é um projeto da Red Balloon Security, empresa especializada em segurança e focada no setor de telecom, utiliza equipamentos disponíveis no mercado consumidor, no valor de algumas centenas de dólares, e códigos abertos para substituir, até certo ponto, as grandes estações base usadas em iniciativas desse tipo.

A ideia, de acordo com Ang Cui, foi criar um sistema que qualquer pessoa pudesse ter em casa, utilizando a tecnologia de comunicação via satélites de baixa órbita mais acessível e barata. Claro, a iniciativa não é substituta das grandes operações de telecomunicações, que ainda exigem equipamentos e antenas altamente especializados e difíceis de serem operados — para o restante do mercado e, principalmente, entusiastas, o NyanSat pode ser uma solução possível.

O sistema funciona a partir de uma pequena estação base com sensores de GPS para reconhecer a própria localização e IMUs para orientação. O sistema de unidades de medida inercial é o mesmo usado por drones para navegar pelo ar, e aqui, é usado para direcionar a antena ao satélite, de forma a estabelecer a comunicação. Um software permite a configuração de todo o processo e, também, de acompanhamentos posteriores, de forma que o dispositivo continue acompanhando a órbita do satélite que está sendo utilizado.

O sistema completo é vendido por um valor simbólico e limitado de US$ 1 — com os cerca de US$ 100 de seu custo real financiados pelas despesas que estariam envolvidas em uma ida presencial à conferência Defcon, que vai acontecer digitalmente e onde o aparelho seria lançado. Além disso, o time da Red Ballon divulgou os esquemas da placa-mãe e a lista de equipamentos necessários para construção do NyanSat na internet, junto com o software envolvido, para que qualquer pessoa possa construir o aparelho em casa.

Além de projetos voltados a comunicação e transmissão de dados e imagens, a Red Ballon imagina a popularização do NyanSat como um sistema de mapeamento da baixa órbita, permitindo a localização de detritos e objetos ainda desconhecidos que estejam no ar. A ideia é que as unidades não apenas funcionem individualmente, mas também entre si, recebendo reflexões e ajudando na correlação entre dados recebidos que, no caso dos equipamentos unitários, não seriam captados.

Os satélites de comunicação estão entre os principais focos da Defcon, que começa nesta quinta-feira (06). Reconhecida como uma das principais conferências de segurança e defesa digital do mundo, o evento acontece neste ano em formato digital, devido à pandemia do coronavírus, com a Hack-a-Sat, maratona na qual hackers são convidados a comprometerem a segurança e obstruírem a comunicação por este meio, sendo um dos destaques.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.