Pagar com o celular? Que nada! Amazon One quer que você pague com a palma da mão

Por Ramon de Souza | 29 de Setembro de 2020 às 23h20
Divulgação/Amazon
Tudo sobre

Amazon

Saiba tudo sobre Amazon

Ver mais

A Amazon acaba de impressionar a internet mais uma vez ao anunciar, nesta terça-feira (29), o One, proposta de sistema centralizado de pagamentos e identificação que usa a palma da mão do usuário para autenticá-lo. A ideia parece um tanto doida, mas é funcional e baseada em um aparato tecnológico capaz de fazer o reconhecimento dos padrões de ranhuras que todos nós temos em nossas mãos — e que, é claro, são únicos.

O conceito será testado inicialmente em duas lojas da rede Amazon Go na cidade de Seattle, nos EUA. Nessas localidades, os clientes poderão se cadastrar no sistema ao simplesmente associar a palma de sua mão ao seu cartão de crédito. O processo dura menos de um minuto e é totalmente contactless (sem contato físico), já que o leitor faz a varredura à distância.

A partir desse momento, o One passa a identificá-lo, permitindo sua entrada na loja apenas com tal dado biométrico. Na hora de pagar, basta mostrar a palma da sua mão para que o sistema faça a cobrança em um dos cartões associados. De acordo com a Amazon, a ideia é expandir o conceito para que ele possa ser usado também para substituir credenciais de acesso, carteirinhas de fidelidade e até passes de transporte público.

O mais bacana é a preocupação da empresa com questões de segurança e privacidade. A marca afirma ter escolhido a palma da mão em vez de outros inputs biométricos por ser uma alternativa mais privada, já que é impossível identificar alguém por tal parte do corpo. Ademais, vamos lembrar que, diferente do reconhecimento facial, o simples uso de uma luva é o suficiente caso você queira “bloquear” seu identificador.

Ademais, a Amazon garante que as imagens digitalizadas das palmas não ficam armazenadas nos dispositivos leitores, mas sim enviadas de forma criptografada para um servidor na nuvem dedicado para a plataforma. Os usuários que não quiserem mais usar o serviço terão o direito garantido de solicitar a remoção total e imediata de seus dados biométricos dessa base remota.

Como citamos anteriormente, por enquanto, a tecnologia será testada em duas lojas Amazon Go, mas a ideia é expandi-la para parceiros em um futuro próximo.

Fonte: Amazon

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.