Intel anuncia chip de gerenciamento para eliminar fios em computadores quânticos

Por Claudio Yuge | 14 de Dezembro de 2019 às 21h00
intel
Tudo sobre

Intel

Saiba tudo sobre Intel

Ver mais

Os computadores quânticos estão em desenvolvimento há muitos anos e prometem agilizar tarefas que as máquinas atuais levariam milhares de anos para processar. Quando estiverem disponíveis em escala comercial, as novidades devem revolucionar o mundo da tecnologia. Mas uma das barreiras atuais é eliminar o excesso de fios, especialmente mais numerosos nos componentes de fotografia e de refrigeração.

A Intel anunciou um novo chip que pode solucionar essa questão. A fabricante norte-americana deve lançar em breve o “Horse Ridge”, semicondutor do tamanho de uma capa dos hoje obsoletos CDs. “Projetado para atuar como um processador de radiofrequência para controlar os qubits que operam no refrigerador, o Horse Ridge é programado com instruções que correspondem às operações básicas de qubit. Ele traduz essas instruções em pulsos eletromagnéticos de microondas que podem manipular o estado dos qubits”, explica o comunicado oficial.

Em muitos computadores quânticos, os qubits devem ser mantidos muito frios, perto da temperatura em que os átomos param de se mover, dentro de uma “geladeira” especial. Isso torna muito difícil conectar fios aos qubits para enviar e receber informações. Com isso, a maioria dos cabos e itens eletrônicos adicionais tem que ficar do lado de fora dessa unidade.

A Intel disse que seu chip — nomeado em referência a um dos pontos mais frios do estado norte-americano de Oregon, onde estão localizadas muitas de suas fábricas — foi projetado para poder ficar dentro da “geladeira quântica”. "A Intel sabe que os controles quânticos são uma peça essencial do quebra-cabeça que precisamos resolver para desenvolver um sistema quântico comercial em larga escala", disse Jim Clarke, diretor de hardware quântico da Intel.

Computadores quânticos ainda estão distante do uso comercial

Os computadores quânticos permanecem anos longe do uso diário, mas atraíram o interesse das principais empresas de tecnologia nas últimas temporadas. Em outubro, pesquisadores da Alphabet, empresa-mãe do Google, disseram ter criado uma máquina que já pode superar os modelos convencionais.

Outras gigantes, como a International Business Machines e a Microsoft, também estão desenvolvendo suas próprias versões. A Intel tem duas frentes nesse setor, cada uma examinando uma maneira diferente de construir o núcleo de um computador quântico — vale lembrar que o núcleo de uma máquina quântica são o “qubits” citados pelos cientistas.

Fonte: Intel  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.