Couro de seda poderá fazer parte do seu guarda-roupas no futuro

Couro de seda poderá fazer parte do seu guarda-roupas no futuro

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 12 de Maio de 2021 às 07h30
Reprodução/Envato

Que tal sair por aí ostentando uma jaqueta de couro ecológico? Até aí, nenhuma novidade, mas e se esse couro fosse feito de seda? Esse é o novo produto desenvolvido pelos engenheiros da Universidade Tufts, nos EUA. Além de ser muito parecido com o couro de verdade, ele é flexível, prático e nenhum animal vai precisar morrer para que você fique mais estiloso na hora de se proteger do frio.

O novo material pode ser impresso com diferentes texturas, que imitam o couro real e todas as suas propriedades físicas para suportar dobraduras, perfurações e esticamentos, sem perder a rigidez ou rasgar durante processos de costura e armazenamento por longos períodos.

“Nosso trabalho é centrado no uso de materiais de origem natural que minimizam a utilização de produtos químicos tóxicos enquanto mantêm o desempenho do material, para fornecer alternativas para produtos que são comumente usados ​​hoje”, diz o professor Fiorenzo Omenetto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Couro de seda pode ser impresso (Imagem: Reprodução/Tufts University)

Como a seda vira couro

O couro feito de seda oferece algumas vantagens sobre outros produtos ecologicamente amigáveis, como couros fabricados com casca de árvores, casca de abacaxi, óleos vegetais, celulose ou colágeno. A principal delas é que para dissolver as fibras de seda são usados apenas produtos químicos suaves e água.

O processo de fabricação utiliza fibras de seda comuns, feitas de proteínas conhecidas como fibroínas de seda e que podem ser quebradas em componentes individuais em uma pasta à base de água. Uma camada de quitosana contendo um material plastificante não tóxico natural é usada para dar resistência e flexibilidade ao couro de seda.

Uma impressora faz o processo de extrusão da pasta de fibroína, criando uma espécie de cisalhamento que organiza as proteínas e fortalece todo o material. Corantes e alterações nos padrões de impressão dão uma grande variedade estética ao couro de seda, combinando cores e texturas completamente ajustáveis.

Texturas e cores do couro de seda (Imagem: Reprodução/Tufts University)

Meio ambiente e mais

O couro de seda, assim como o couro convencional, é forte e macio ao mesmo tempo, com propriedades físicas que mantém o material flexível, durável e reciclável. “Na verdade, os produtos de couro de seda poderiam ser dissolvidos e regenerados em sua matéria-prima gelatinosa para serem reimpressos em novos produtos sem perda de qualidade”, afirma o professor Omenetto.

Além das vantagens ambientais, a tecnologia usada para transformar seda em couro pode ser aplicada para incorporar moléculas sensitivas, capazes de responder a estímulos externos. “A proteína da seda tem uma química bem estabelecida e versátil que podemos usar para ajustar as qualidades do material e incorporar elementos inteligentes como moléculas sensoriais", explica a professora Laia Mogas-Soldevila.

Os pesquisadores esperam aprimorar o produto para uma possível produção em grande escala, aproveitando os casulos descartados no processo de confecção de tecidos para transformar seda em couro. Os quase quatro bilhões de bovinos que morrem anualmente em todo o planeta para fabricação de couro comum, agradecem.

Fonte: Science Direct

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.