Carros autônomos: movidos por energia elétrica ou híbridos?

Por Redação | 14 de Dezembro de 2017 às 17h36
público

Os carros autônomos já estão perto de se tornar uma realidade, mas ainda há uma pergunta que não quer calar: movidos a energia, apenas, ou carros que combinam o poder da bateria elétrica com a possibilidade de também funcionar com combustíveis?

A General Motors está firme no seu compromisso com a propulsão elétrica. A CEO da GM, Mary Barra, não larga o osso e acredita que a melhor aposta para o meio ambiente são os carros movidos exclusivamente por eletricidade: "Emissões zero. Zero falha. Congestionamento zero", disse a executiva numa conferência de jornalistas, onde ocorreram os primeiros passeios a bordo do Chevy Bolts, carro autônomo e exclusivamente elétrico desenvolvido para a General Motors pela subsidiária Cruise Automation.

Mas nem todo mundo concorda que a propulsão elétrica seja o melhor caminho para os carros autônomos: o vice-presidente executivo da Ford, James Farley, publicou no dia 6 de dezembro que a Ford acredita que automóveis híbridos sejam a melhor pedida para seus modelos de condução autônoma. "A aplicação de tecnologia híbrido-elétrica aos nossos carros autônomos traz diversos benefícios para nossas empresas parceiras. Além disso, híbridos ajudam a fornecer a quantidade significativa de energia elétrica necessária para os sensores e sistemas de computação sem um impacto negativo na quilometragem", escreveu Farley.

Além da Ford, a Waymo, da Alphabet, também está utilizando plugins elétrico-híbridos em suas minivans Chrysler. A Uber também tem utilizado híbridos e recentemente fez a encomenda de 24 mil SUVs Volvo XC90, que são híbridos e devem ser utilizados como taxis autônomos nos serviços da empresa. A Tesla, por sua vez, está no mesmo time da General Motors e só planeja trabalhar com carros autônomos 100% guiados através de eletricidade.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

Quem não gostou nada desse debate foi Mary Nichols, do California Air Resources Board. Irritada, ela twittou uma mensagem nada discreta para os altos executivos da Ford:

Na mensagem, em tradução livre, ela diz: "Terra chamando Ford: qual parte de sustentabilidade vocês não entenderam? Veículos híbridos sem motoristas correndo 24/7 entregando pizzas e passageiros significam mais toneladas de poluição nas cidades!". James Farley, entretanto, não poderia ter se importado menos e retrucou: "Sempre que você não estiver carregando produtos ou pessoas, você estará perdendo dinheiro. O mais importante é o tempo de atividade e a lucratividade. O que vemos (nos carros autônomos híbridos) é um modelo muito melhor de custo de propriedade".

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.