Huawei e CPqD terão novo laboratório para homologar equipamentos IPv6 no Brasil

Por Rafael Romer | 17.08.2015 às 09:17

A chinesa Huawei e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) anunciaram uma parceria para a instalação de um novo laboratório de confiabilidade para apoiar o desenvolvimento de estudos e equipamentos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) de alta velocidade para o mercado brasileiro.

O laboratório é uma extensão de uma parceria das duas organizações firmada em 2013 e ficará localizado dentro da sede do CPqD, em Campinas (SP). No laboratório, serão promovidos testes para a avaliação de conformidade e certificação de tecnologias como redes ópticas para transmissão de alta velocidade (GPON) e núcleo de rede de alta velocidade com protocolos avançados, como a nova versão do protocolo de Internet, o IPv6.

"Nesse laboratório, nós pretendemos definir padrões e métricas de como testar e homologar aparelhos utilizando a tecnologia IPv6 e também a próxima geração de transmissão por fibra óptica", explicou o Gerente do Centro de P&D da Huawei no Brasil, Tito Ocampos. Hoje, o Brasil já tem cerca de 2% do tráfego global de IPV6. A expectativa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é que até 2017 quase todo o país esteja utilizando o novo padrão.

O laboratório será o primeiro do CPqD a ter a capacidade de analisar e homologar a nova geração de redes de fibra óptica, que acompanham a atual necessidade por expansão da velocidade de transmissão de dados. Atualmente, a fibra óptica lançada atinge transferências que giram em torno de 2,5 Gbps de transferência e a expectativa é que a próxima geração tenha capacidade de atingir velocidades de 10 Gbps, na avaliação de Ocampos.

Apesar da parceria com a Huawei, o laboratório será aberto e poderá ser utilizado para certificação de produtos de outros fabricantes junto ao CPqD. Hoje, o órgão é o único instituto capaz de realizar homologação de fibras ópticas para a Anatel.

A Huawei não divulgou qual foi o valor colocado no laboratório, mas a infraestrutura entra como parte dos investimentos da empresa no setor de Pesquisa de Desenvolvimento (P&D) no Brasil. No ano passado, a chinesa investiu um total de US$ 6,5 bilhões em projetos globais de P&D, parte deles dedicados ao mercado nacional.

Em 2009, a Huawei iniciou seus projetos de pesquisa no Brasil, com uma colaboração entre uma equipe local e na matriz chinesa. Hoje, a empresa mantém um laboratório em São Paulo, com um time de 50 profissionais dedicados à pesquisa e desenvolvimento.