Pesquisa afirma que empresas gastam US$ 1,1 trilhão por ano para armazenar dados

Por Ultra Downloads | 03.07.2012 às 12:25 - atualizado em 13.08.2012 às 14:16
Gasto Mundial: Gráfico

Mundialmente são arquivados 2.2 zetabytes de dados ao ano por organizações (Foto: Reprodução: IT Business)

A Symantec divulgou recentemente os resultados de uma pesquisa sobre quantidade de dados armazenados por empresas e quanto elas gastam anualmente com o serviço. A pesquisa afirmou que mundialmente são arquivados mais de 2.2 zetabytes de dados e que as empresas gastam em média US$ 1.1 trilhão (cerca de R$ 2,2 trilhões) para mantê-los em segurança.

O estudo foi realizado com 4.056 profissionais de tecnologia da informação espalhados por empresas em 38 países diferentes.

De acordo com o Network World, aproximadamente US$ 38 milhões são gastos anualmente por empresas de grande porte para o armazenamento de dados, enquanto as pequenas e médias companhias gastam US$ 332 milhões para arquivar suas informações.

A pesquisa ainda avalia que as pequenas e médias empresas gastam por funcionário US$ 3.670 ao ano para manter seus dados em sigilo, aproximadamente US$ 400 a mais do que as grandes companhias.

Os entrevistados também afirmaram que hoje em dia a informação representa mais de 49% do valor total de uma empresa, indicando assim a importância dada pelos empresários para o armazenamento de dados.

“Nem todas as informações são criadas de forma igualitária”, afirmou ao IT Business Sean Forkan, gerente da Symantec Canadá. “Nós não precisamos utilizar o mesmo conjunto de infraestrutura para armazenar as entradas de um calendário de quatro anos atrás. Precisamos tratar essa informação de maneira diferente a partir de dados que são mais valiosos”.

Ainda segundo os entrevistados, nos últimos doze meses, as organizações perderam aproximadamente 69% do seu montante de informações confidenciais devido a problemas de segurança.

Outro dado apresentado pela pesquisa da Symantec é que 42% dos dados estão ‘duplicados’, ou seja, as empresas gastam ainda mais para armazenar dados em dobro sem necessidade como uma forma de garantia e segurança.

Por último, o estudo ainda concluiu que 75% das informações são armazenadas localmente, enquanto apenas 25% estão na nuvem.

A Symantec busca, com os dados colhidos na pesquisa, criar soluções de software para proteger dados de empresas de possíveis ataques ou infecção por vários tipos de malware.