Spectre | Intel pede que usuários não instalem correção para brecha de segurança

Por Redação | 23 de Janeiro de 2018 às 11h04
TUDO SOBRE

Intel

Em mais um capítulo da novela Meltdown e Spectre, a Intel está solicitando a seus usuários que não instalem as atualizações liberadas recentemente para resolução das falhas de segurança em seus componentes. De acordo com a empresa, a correção, por mais que feche a brecha que pode ser usada por hackers para interceptação de dados dos usuários, também está levando a diferentes problemas de funcionamento, motivo pelo qual um novo patch está em desenvolvimento.

Em comunicado oficial, a empresa confirmou a existência de problemas como reinicializações inesperadas e aleatórias durante a utilização de computadores e servidores, principalmente nas famílias Broadwell e Haswell de chips. A Intel diz já ter encontrado o motivo dos problemas e estar em fase de testes de uma nova versão da atualização, um processo que está sendo realizado tanto internamente quanto com a ajuda de parceiros, que também já têm acesso à atualização.

Com isso, a empresa recomenda que, principalmente, fornecedores de serviços de cloud computing e fabricantes de computadores não instalem a correção atualmente disponível em suas máquinas, já que ela pode levar a comportamento “errático” dos sistemas. A empresa não deu uma previsão exata de quando a nova versão da atualização será liberada, dizendo apenas que está trabalhando o mais rápido possível para garantir segurança e confiabilidade a todos os seus usuários.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os trabalhos em uma nova versão do patch de correção contra o Spectre já estão acontecendo desde a última semana, quando começaram a se amontoar os relatos de usuários sobre problemas de funcionamento em seus computadores pessoais. Para muitos, a pressa na liberação de um patch, devido à gravidade da vulnerabilidade, teria levado a bugs como a reinicialização inesperada de máquinas, lentidão no processamento de algumas funções e problemas de funcionamento no sistema operacional.

Alguns dos casos, entretanto, não devem ser resolvidos. É o caso da queda na performance do processador durante a realização de algumas tarefas específicas, fruto do próprio caráter das falhas de segurança. Elas se aproveitam de brechas em um sistema que garante mais velocidade aos chips por meio de previsões das ações seguintes de aplicativos e usuários, mas também estariam permitindo a interceptação de dados pessoais e confidenciais.

De maneira geral, a Intel afirma que muitos nem sentirão mudanças, enquanto a maioria deve observar uma queda de 10% no desempenho. Em alguns casos, entretanto, essa redução pode chegar a mais de 25%, principalmente na execução de tarefas complexas relacionadas à tecnologia JavaScript para aplicativos web.

Apesar de tais questões parecerem insolúveis, a Intel garante que, pelo menos, seus usuários estarão imunes às falhas de segurança representadas pelo Spectre e Meltdown. A luta contra as brechas deve continuar por mais alguns dias até que ela possa ser, finalmente, deixada para trás.

Fonte: Intel

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.