Quantas vezes meu power bank vai recarregar meu celular?

Por Aylons Hazzud | 31 de Maio de 2018 às 09h20

Quando a bateria do celular já não segura mais a carga, todo o mundo tenta dar um jeito: há quem troque o celular todo ano, enquanto quem tem sorte (ou um iPhone) consegue comprar uma bateria nova de qualidade. Mas a escolha mais popular para conseguir manter o aparelho longe da tomada tem sido os power banks — aqueles carregadores portáteis que conseguem carregar qualquer dispositivo USB como uma tomada disponível onde quer que você esteja.

Não são só celulares: tablets, fones sem fio, e até mesmo notebooks podem ser carregados com esses "tijolinhos". A intuição já indica que o notebook tem a bateria maior que a do fone de ouvido, e o carregador provavelmente vai recarregar um celular várias vezes enquanto não deve dar conta da imensa bateria do note. Mas quantas vezes eu consigo recarregar um iPhone com o power bank?

Para escolher um power bank que não acaba antes do seu dia, vale a pena entender as medidas de carga que os diferentes fabricantes usam.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

mAh, V, Whr... Ahn?

Quem acompanha sites de tecnologia já se acostumou com a sigla mAh (miliampere-hora), que é usada para medir a capacidade das baterias de celulares. O Galaxy S8, por exemplo, tem bateria de 3.000 mAh, enquanto o iPhone X tem uma bateria de 2.716 mAh. Então, só preciso comprar um carregador de 6.000 mAh para recarregar meu S8 duas vezes, certo?

Errado! A carga total, em mAh, é só metade da história. Acontece que a energia total guardada dentro de uma bateria é indicada por uma unidade chamada Watt-hora (sigla Wh), que depende também da tensão da bateria, em Volts (V). Se o nome Watt-hora lhe parece familiar, é porque ele equivale a 1/1000 do quilowatt-hora, medida usada nas contas de luz do Brasil.

Para calcular a energia total de uma bateria em Wh, pode-se multiplicar a carga em mAh pela tensão nominal da bateria em Volts, e então dividir o resultado por 1.000. Por exemplo, a bateria do iPhone X tem 3,81V e uma carga de 2.716 mAh, resulando em 10,35Wh. Se estiver na dúvida, pode dar uma olhada na própria bateria, em que todos os detalhes costumam estar descritos (às vezes a sigla Whr é usada no lugar de Wh, mas com o mesmo significado).

Leia a letra miúda!

Se você olhar a bateria de um MacBook Pro, pode levar um susto ao ver que ela tem somente 4.781 mAh — menos do que um celular como o Zenfone 4 Max, que anuncia 5.000 mAh de carga. A diferença está justamente na voltagem: a bateria do notebook da Apple segura a carga em 11,4V, resultando em 54,5 Wh, enquanto a bateria do telefone da Asus usa 3,85V, resultando em 19,2Wh. Isso significa que o MacBook tem quase o triplo da capacidade, embora você não possa dizer isso olhando somente os números anunciados em mAh.

Na hora de comprar o carregador portátil, a mesma conta vale: é preciso multiplicar a carga em mAh pela tensão em Volts. A maioria desses carregadores usa baterias com tensão nominal de 3,6V; então, se o fabricante ou o vendedor lhe der essa informação, você pode multiplicar a carga em mAh por 3,6V que quase sempre vai acertar.

Por exemplo: um carregador de 10.000 mAh, será capaz de fornecer 36 Wh para o celular, o suficiente para encher a bateria do iPhone X mais de três vezes, e até mesmo recarregar 66% do Macbook Pro de 54,5 Wh. Claro, para isso, você vai precisar de um carregador especial que consiga se ligar ao MacBook Pro.

E esse é o tema de uma próxima coluna: as diferentes formas de carregar celulares e notebooks, inclusive o USB-PD, que funciona nos dois.

Bateria "viciada"

Sim, é verdade que, por vezes, o componente do aparelho já está desgastado o suficiente, não "segurando" uma carga completa por tanto tempo como antigamente. Quando isso acontece, se ainda valer a pena, o jeito é providenciar a troca da bateria — e o Canaltechfix, assitência técnica oficial do Canaltech é especializado em smartphones, tablets e MacBooks. Se a bateria do seu aparelho já está dando adeus, conte com a gente nesse reparo!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.