Qualcomm entra no mercado de câmeras de segurança

Por Redação | 27 de Outubro de 2015 às 16h19

A estagnação do mercado mobile está sendo demonstrada mais uma vez com os novos lançamentos da Qualcomm. A companhia, que já havia afirmado antes estar cogitando a entrada em outros segmentos, como o de drones, por exemplo, anunciou nesta semana a fabricação de uma dupla de chips de alta performance voltados para câmeras de segurança que funcionem a partir de conexão com a internet.

Os processadores são de baixo custo, mas carregam todo o poder necessário para as aplicações inerentes a esse tipo de dispositivo. Com sensores de movimento e sistemas para captação de áudio e vídeo em alta qualidade, mas com economia de banda, a ideia da fabricante é permitir que até mesmo os produtos de baixo valor sejam arrojados e completos, com uma detecção mais avançada e consistente do que está acontecendo diante das lentes.

Além disso, os chips possuem tecnologias que permitem a diferenciação rápida de imagens estáticas, como elementos que estão frequentemente no ambiente, contra agentes estranhos. Ela não detecta, por exemplo, carros que passam na rua ou pedestres, mesmo diante de uma janela ou portão, além de ser capaz de detectar animais e diferenciá-los de seres humanos.

No anúncio do novo hardware, a Qualcomm disse que já trabalha há algum tempo com fabricantes de produtos da Internet das Coisas, fornecendo versões customizadas ou completas de seus chips mobile. O crescimento desse mercado, porém, motivou a empresa a investir forte no segmento, criando soluções dedicadas para esse tipo de uso. A declaração indica que mais hardware do tipo, com aplicação em outros tipos de produtos, pode estar também a caminho.

A ideia dessas novas empreitadas é usar as tecnologias já existentes e adaptar suas estruturas de acordo com o uso pretendido. Os chips para câmeras de segurança, por exemplo, têm arquitetura baseada no processador Snapdragon 618, o que significa que ele já vem, “de fábrica”, com conexões LTE e suporte a gravação em resolução 4K, sem que a Qualcomm tenha que tomar medidas adicionais para habilitar esse tipo de suporte.

O foco final é uma redução nos custos de produção e o aumento no faturamento a partir de uma diversificação. Agora, a empresa segue fazendo contatos com fabricantes interessados em busca de parcerias, mas durante o anúncio dos novos chips, não falou exatamente como se espera que eles influenciem nas receitas, algo que deve ser sentido apenas a partir do primeiro semestre do ano que vem, quando chegam as primeiras câmeras com processadores Qualcomm em seu interior.

Fonte: Recode

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.