Qualcomm deverá cortar 4 mil postos de trabalho

Por Redação | 14.07.2015 às 12:10

Recentemente, algumas empresas têm alinhado suas ações para poderem realizar mudanças estruturais significativas, a fim de continuarem competitivas no mercado. O caso mais recente é o da Microsoft, que anunciou cortes em seu setor de telefonia móvel para mudar o foco de seus aparelhos. A Qualcomm, gigante no mercado de processadores para dispositivos móveis, também deverá realizar uma reestruturação que causará diversos efeitos colaterais. As mudanças estruturais da empresa norte-americana deverão acarretar na demissão de 4 mil funcionários.

Na próxima semana, a Qualcomm deve apresentar seus resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre deste ano. Nesse mesmo evento, a companhia poderá confirmar as demissões e fornecer mais detalhes sobre a reestruturação que deverá ser iniciada na empresa.

Esta não é o primeiro corte de funcionários em um período recente da Qualcomm. No final do ano passado, a companhia havia anunciado que iria demitir cerca de 900 funcionários, mas acabou cortando cerca de 1.500 postos de trabalho, uma redução alinhada ao mau momento que a empresa está enfrentando nas vendas de seus produtos.

A perda de seu maior cliente, a Samsung, bem como o número baixo de vendas, tem contribuído para que a empresa repense suas ações no mercado. Outras marcas que utilizam os processadores da marca, como a HTC, também não passam por bons momentos nas vendas de aparelhos. Isso afeta diretamente a produção e desempenho da fabricante de chips norte-americana.

Atualmente, a Qualcomm conta com cerca de 31.300 funcionários, número bastante superior ao da MediaTek, que conta com pouco mais de 10.000 funcionários. A redução de 4.000 empregos significaria um corte de 12,8% da força de trabalho da fabricante norte-americana. Um dos motivos que tem contribuído para o baixo número de vendas da Qualcomm é o bom desempenho da MediaTek, que tem custos funcionais baixos e está fixada em um mercado de smartphones que está crescendo, os chamados "segundo linha".

Apesar do fraco desempenho em 2015, o mercado estima que a divisão de servidores irá começar a ajudar na lucratividade da Qualcomm em 2016. Além disso, o novo Snapdragon 820 deverá chegar ao mercado ainda este ano. Mesmo com algumas visões animadoras para o futuro, a empresa não pode dar margem para erros, principalmente porque concorrentes como MediaTek, Intel e NVIDIA estão estruturados para tomar boa parte da participação da Qualcomm caso a companhia venha a falhar.

Via Pplware

Fonte: http://pplware.sapo.pt/informacao/qualcomm-pode-demitir-cerca-de-4-000-pessoas/