Primeiras NVIDIA Tesla V100 são doadas para gênios da inteligência artificial

Por Redação | 25.07.2017 às 18:28

Baseada na arquitetura Volta, a GPU NVIDIA Tesla V100 é a aposta mais recente da companhia, e seu CEO, Jensen Huang, decidiu doar as primeiras unidades produzidas para quinze gênios da inteligência artificial, que participam do programa NVIDIA AI Labs.

A doação aconteceu durante a conferência Computer Vision and Pattern Recognition (CVPR), em Honolulu, onde especialistas em IA se reúnem nesta semana. “A AI é a força tecnológica mais poderosa que já conhecemos. Eu já vi de tudo. Já testemunhei as idas e vindas da revolução cliente-servidor, as idas e vindas da revolução do PC e absolutamente nada é comparável”, afirmou o CEO.

E a Tesla V100 promete ser o melhor equipamento para os pesquisadores do ramo. Segundo Silvio Savarese, professor associado de ciência da computação na Universidade Stanford, a GPU será usada em novas pesquisas de condução autônoma e realidade virtual. “Tudo conta com tecnologias que usam o deep learning”, explica o expert, que realiza pesquisas relacionadas a visão computacional, percepção robótica e aprendizado de máquina.

A arquitetura Volta oferece um desempenho em teraflops de pico cinco vezes maior do que a Pascal, sendo quinze vezes superior à arquitetura Maxwell. Esse desempenho acaba sendo quatro vezes maior do que o previsto pela Lei de Moore, sendo que o acelerador da GPU Tesla V100 rompe a barreira dos 100 teraflops no que diz respeito a desempenho de deep learning.

A V100 tem mais de 21 bilhões de transistores e inclui 640 núcleos Tensor, proporcionando 120 teraflops de desempenho de deep learning, com memória DRAM HBM2 de 900 GB/s, sendo capaz de atingir uma largura de banda 50% maior do que as GPUs anteriores.